quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ZÉ ELIAS quer publicar um livro de homens que tenham passado pela mesma situação que ele

Por Luciano Borges, 
Blog do Boleiro


PROCURA-SE uma editora. O ex-jogador Zé Elias quer encontrar quem se interesse em transformar num livro, as quase 70 páginas manuscritas que escreveu durante os 30 dias que passou numa cela do 33º Distrito Policial, na zona oeste de São Paulo.

São relatos de homens que, como o ex-jogador corintiano, foram presos por não pagarem a pensão alimentícia de ex-esposas e filhos. “Um funcionário da carceragem me disse, quando fui embora, que nos últimos 45 dias, o distrito recebeu 325 pessoas nesta situação.”, disse. 

Uma das tarefas de Zé Elias era a de recepcionar os novatos, passar orientações sobre a rotina no DP e, de quebra, acabou conhecendo histórias que contou no manuscrito. Durante um mês, ele fez da leitura e do exercício de escrever suas principais atividades. 

Quando se apresentou para cumprir pena, “Zé da Fiel” levou dois livros. Um deles, “Jogo Sujo”, do inglês Andrew Jennings – que trata da corrupção na Fifa - ficou com um colega de cela. “Eu comecei a ler para ele, que é cego. Como ele saiu antes, acabei dando para ele como presente”, contou. 

Cinco dias depois de deixar a cela, Zé Elias trabalha para retomar a rotina de antes. Nesta quarta-feira, o ídolo corintiano conversou com executivos da Rádio Globo, de quem já foi comentarista. Pode voltar a integrar o quadro da equipe de esportes da emissora.

O ex-jogador saiu da cadeia na sexta-feira, 19 de agosto. No dia seguinte esteve no Pacaembu para acompanhar o Corinthians contra o Figueirense (0 x 2). “Quando você está preso, perde o contato com o que acontece fora. Por isso quero retomar minha vida de antes”, afirmou. 

Livre, ele já pagou a primeira pensão determinada pela justiça (um salário mínimo para cada filho do primeiro casamento).

NÃO TENHO opinião formada sobre o caso específico de Zé Elias, pois cada caso é um caso; mas a verdade é que existe uma proteção exagerada à ex-mulher em casos de pensão-alimento. Um exagero e, muitas vezes injustiça, enfim. Um assunto que deveria ser revisto pela Lei brasileira, minimizando as eventuais injustiças.

"AMAI-VOS uns aos outros como eu vos tenho amado."

Um comentário:

  1. escreva e publique... venda bastante pra nunca mais deixar de pagar as pensoes do filhos... que nao pediram pra vir ao mundo... mostre para outros pais que não vale a pena esquecer os filhos ao Deus dará....
    daniel

    ResponderExcluir

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!