sábado, 30 de abril de 2011

EVANGELHO do domingo: 'Recebei o Espírito Santo'

AO ANOITECER daquele dia, o primeiro da semana, os discípulos estavam reunidos, com as portas fechadas por medo dos judeus. Jesus entrou e pôs-se no meio deles. Disse: "A paz esteja convosco". Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, se alegraram por verem o Senhor. Jesus disse, de novo: "A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio". Então, soprou sobre eles e falou: "Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos". Tomé, chamado Gêmeo, que era um dos Doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe: "Nós vimos o Senhor!". Mas Tomé disse: "Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos, se eu não puser a mão no seu lado, não acreditarei". Oito dias depois, os discípulos encontravam-se reunidos na casa, e Tomé estava com eles. Estando as portas fechadas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: "A paz esteja convosco". Depois disse a Tomé: "Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas crê!". Tomé respondeu: "Meu Senhor e meu Deus!". Jesus lhe disse: "Creste por que me viste? Bem-aventurados os que não viram, e creram!". Jesus fez diante dos discíplos muitos outros sinais, que não estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho d eDeus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome. (Jo 20, 19-31)





A todos um excelente domingo e...


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

ESSA MANIA que têm os brasileiros de dar nomes duplos aos filhos



Ilustração: Felipe Lima

Um típico casal brasileiro: Patricia Regina e Emerson Cristiano

Na certidão de nascimento do brasileiro não cabe moderação. Nome bom é nome duplo e por isso proliferam as Silvia Aparecida, Patricia Regina, Eduardo Augusto, Pedro Adolfo e Guido Adriano


Entre as idiossincrasias brasileiras mais resistentes ao passar do tempo está a de batizar os filhos com nomes duplos. É um tal de Silvia Aparecida, Patricia Regina, Cintia Larissa, Viviane Beatriz. E têm as versões masculinas: Fernando Henrique, José Inácio, Eduardo Augusto, Pedro Adolfo, Guido Adriano.

Dirão alguns que é herança do nosso passado monárquico. O povão tentava imitar a família real e sua lista infindável de prenomes. Lembra de d. Pedro I? Ou melhor, lembra de Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim? E o filho dele, Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim, mais conhecido como d. Pedro II. – soa familiar?

Dirão outros que por trás do nome duplo está um casal que não entra em acordo sobre como batizar o filhote. Ele quer Luana; ela quer Jênifer. E aí a garotinha é brindada com a combinação Luana Jênifer. Aliás, falar em combinação é um pouco de exagero. Nem sempre há preocupação em escolher dois nomes próprios que “ornem” entre si. Para quem acha que a palavra é bonita, tudo soa bem. Anos depois, o Emerson Cristiano percebe que, diante de sua assinatura, uns e outros se sentem inspirados a fazer piadinhas. Aí vem a revolta contra os progenitores, que pode acabar em patricídio ou matricídio.

É claro que estamos falando de casos extremos. Na maioria das vezes, a vítima do mau gosto paterno simplesmente esquece um dos dois nomes, deixa de usá-lo e fica torcendo para que seus documentos nunca caiam na mão dos amigos – e muito menos dos inimigos. O segundo nome passa a ser um segredo bem guardado, que ele só revela para a alma gêmea (com quem já vive há muitos anos) quando os dois decidem oficializar a união:

– Querida, antes de darmos esse passo importante, é preciso que você saiba algo sobre mim.

E aí, sem esconder certo constrangimento, o rapaz entrega para ela uma carteira de identidade velha e amarelada onde se lê “Oscar Benedito”.

Minha colega Silvia Aparecida nos fornece uma provável explicação para muitos nomes duplos: promessa para um santo. Gravidez de risco, dificuldade para engravidar, doença na família – algum desses dramas pode ter motivado a mãe ou o pai a se ajoelhar diante de uma imagem de santo e dizer:

– Em retribuição a esta graça que te imploro, meu São Benedito, prometo dar ao meu filho primôgenito teu abençoado nome.

Depois disso, só resta ao Oscar Benedito agir como um homem e assumir sua história pessoal diante da noivinha. (Marleth Silva, Gazeta do Povo edição de 30abr.2011).


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

BEATIFICAÇÃO de João Paulo II será transmitida pela internet

A CTV, emissora do Vaticano, e o YouTube vão transmitir a íntegra da cerimônia no domingo. Em Curitiba, vigília será realizada no Bosque do Papa, no sábado (30), das 18h30 às 22 horas. No domingo haverá missa na Praça Nossa Senhora de Salete


A cerimônia de beatificação do Papa João Paulo II será transmitida na íntegra e ao vivo pela internet. Em parceria com a CTV, a Central de televisão do Vaticano, e a Radio Vaticano, o YouTube vai transmitir a cerimônia a partir das 4 horas de domingo (1º). A beatificação será realizada na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Ainda na internet, o Vaticano fez uma homenagem ao pontífice colocando no ar nesta sexta-feira (29) uma página sobre sua vida, trajetória religiosa e pontificado.



SAIBA MAIS:

Vaticano prepara página na internet em homenagem a João Paulo II
Papa João Paulo II será exumado antes de beatificação

 
Linhas de ônibus (Curitiba) terão alterações neste domingo

Por causa do grande público esperado para as festividades do Dia do Trabalhador na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, alguns ônibus que passam pela região terão o trajeto alterado das 8h às 20h.


De acordo com a agência EFE, o caixão com os restos mortais do papa já foi retirado do túmulo que ocupava na cripta da basílica e colocado sobre um palanque coberto com tela branca diante da tumba de São Pedro. O ataúde vai permanecer no local até sábado (30), quando será levado ao Altar da Confissão da Basílica de São Pedro, para que os fiéis possam venerá-lo quando for beatificado pelo Papa Bento XVI.


Celebrações em Curitiba


A comunidade polonesa de Curitiba programou uma ação para celebrar a beatificação de João Paulo II. No sábado (30), das 18h30 às 22 horas, será realizada uma vigília no Bosque do Papa.

A Representação Central da Comunidade Polonesa no Brasil (Braspol) é a entidade organizadora do evento. Karol Wojtyla foi o primeiro pontífice que não havia nascido na Itália. Ele morreu em 2005.

As comemorações em Curitiba terão início com a apresentação da Banda Lyra. A seguir, uma missa será celebrada no Bosque do Papa. Também será apresentado um vídeo sobre a visita de papa a Curitiba, em 1980. O Bosque do Papa fica na Rua Mateus Leme, s/n, no Centro Cívico.


Missa solene no Centro Cívico


Uma missa solene também será celebrada na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico,, no domingo (1º), em comemoração à beatificação do papa João Paulo II e ao Dia do Trabalho. A celebração será presidida pelo arcebispo de Curitiba, Dom Moacyr José Vitti, e contará com a presença do padre Reginaldo Manzotti. A abertura do evento será às 9h30 e a missa deve começar às 10 horas.

A Igreja Católica também comemorará a festa da Divina Misericórdia neste domingo. A solenidade ocorre no primeiro domingo após a Páscoa. Foi o papa João Paulo II que instituiu a festa, no ano 2000, e nesse ano a data coincide com o dia de sua beatificação.


Beatificação

A freira francesa Marie Simon-Pierre, de 47 anos, diz ter sido repentinamente curada do Mal de Parkinson. O milagre teria ocorrido dois meses depois da morte de João Paulo II, quando ela e uma colega rezaram pela intercessão dele.


Em geral, as fases iniciais dos processos de canonização levam décadas ou mesmo séculos. Mas em maio de 2005, um mês depois da morte de João Paulo II, seu sucessor, o papa Bento XVI, abriu uma exceção, dispensando-o do prazo habitual de cinco anos após a morte do candidato.

Após a beatificação, será preciso comprovar a realização de mais um milagre - ocorrido por intercessão do papa João Paulo II - para que ele possa se tornar santo. (GAZETA do Povo, Curitiba - PR)



LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

POPULAÇÃO paranaense cresceu abaixo da média nacional


O Paraná teve um crescimento populacional de 0,89% abaixo da média do país. Em dez anos, a população paranaense teve um aumento de apenas 886.072, atingindo a marca de 10,4 milhões de habitantes. Com este número, o estado ficou em terceiro lugar no ranking dos que menos cresceram, ficando atrás apenas da Bahia e do Rio Grande do Sul.

Chefe da unidade estadual do IBGE no Paraná, Sinval Dias dos Santos argumenta que este pequeno crescimento pode estar relacionado à migração populacional para os vizinhos São Paulo e Santa Catarina. Na última década, catarinenses e paulistas investiram em industrialização no interior, levando os paranaenses de municípios sem arranjos produtivos a migrar. “Essas localidades não conseguem segurar a população porque não oferecem oportunidades de educação e emprego”, diz.

Em locais com bons arranjos a população tende a permanecer, como é o caso de alguns municípios interioranos com indústrias na área de confecção. Já a migração dentro do estado ocorreu rumo à região metropolitana, que ainda é atrativa em função do crescimento da capital. Como o custo de vida é mais alto em Curitiba, os migrantes optam pelas cidades vizinhas.

Os paranaenses apresentaram melhores resultados que outros estados em relação à taxa de alfabetização, ficando acima do resultado nacional. No Brasil a alfabetização não atinge atualmente 9,1% da população, mas no estado o valor é de 5,7%.

Oportunidade

Para quem ainda busca uma carreira e está em fase de formação profissional, as cidades de médio porte, como Ponta Grossa – com universidades de referência – são uma boa opção para estudantes. A jovem Fabiane Mazurok Schactae veio de Cândido de Abreu ainda em 2001 para cursar o ensino médio. Depois veio o vestibular e se formou na Universidade Estadual de Ponta Grossa em Direito. “Gostei daqui e adotei Ponta Grossa como a minha cidade, onde trabalho e exerço minha profissão”, finaliza.
(por Paola Carriel e Alexandre Costa - Gazeta do Povo, Curitiba - PR)


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

NORTE é a região que mais cresceu




A Região Norte apresentou o maior crescimento populacional entre as cinco regiões do país nos últimos dez anos, conforme aponta o Censo 2010, divulgado nesta sexta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). A região chegou à marca de 15 milhões de pessoas.

Entre os recenseamentos de 2000 e 2010, a região apresentou crescimento populacional de 2,09%, quase o dobro da taxa nacional, que ficou em 1,17%. Nesse período, a região ganhou mais 2.963.750 moradores – 14,1% do total do incremento nacional, enquanto a população da região representa apenas 8,3% dos moradores brasileiros.

A região concentra os cinco Estados com as maiores taxas de crescimento populacional do país. Na primeira década do século, o Estado do Amapá foi o que registrou o maior aumento populacional (3,45%). Já Roraima (3,34%) e Acre (2,78%) aparecem na segunda e terceira posições, respectivamente. Em seguida vêm Amazonas (2,16%) e Pará (2,04%). A única exceção é o Distrito Federal, considerado unidade da federação, que apresentou crescimento de 2,26%.

Outro detalhe da região é que, apesar de ter a menor densidade populacional, o Norte possui a maior média de moradores por domicílio: em média, quatro pessoas por casa. Nas demais regiões, essas taxas variam de 3,1, no Sul, a 3,5, no Nordeste.

O crescimento populacional também ocorre em áreas densamente urbanizadas. Entre as 15 cidades mais populosas do país, Manaus (AM) – cidade mais populosa do Norte – é a que registrou maior aumento (2,5%). Cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo, tiveram alta de 0,76% cada, bem menor que a capital amazonense.

Os números da região Norte
Estado // População // Crescimento
2000-2010
Amapá 669.526 3,45%
Roraima 450.479 3,34%
Acre 733.559 2,78%
Amazonas 3.483.985 2,16%
Pará 7.581.051 2,04%
Tocantins 1.383.445 1,80%
Rondônia 1.562.409 1,25%
TOTAL 15.864.454 2,09%

Migração para o campo
Nos últimos dez anos, ao contrário do restante do país, a região ganhou mais 313.606 moradores na zona rural. Já o país registrou, entre os Censos 2000 e 2010, uma redução de 2 milhões de moradores nas zonas rurais nos Estados. Além do Norte, apenas o Centro-Oeste apresentou superávit populacional rural, mesmo assim em número bem menor: 31.379.

O grau de urbanização do Norte também é bem menor que a média nacional e, em 2010, ficou na casa dos 73,5%, contra 84,4% do restante do país.

Para o doutor em economia popular e professor da Universidade Federal de Alagoas, Cícero Péricles, o aumento populacional da região está ligado diretamente ao setor agrícola. Ele explica que, como os Estados da região estão conseguindo dinamizar a economia, conseguem atrair mais pessoas de outros Estados.

"Esse fenômeno é a expansão da fronteira agrícola mais recente – e última – do Brasil. As taxas maiores de crescimento da população rural refletem a combinação, por um lado, do avanço da fronteira agrícola, antes mais dinâmica nos Estados do Centro-Oeste; e, de outro, o efeito mais sentido do impacto do deslocamento de migrantes para os Estados que possuem uma população rural relativamente pequena. Mesmo sem formar grandes contingentes de migrantes, esse movimento gera taxas maiores em função das características demográficas da região mais distante, de população rarefeita, de território mais amplo, que é a Amazônia", afirma.

Outra explicação de Péricles é que os preços das terras, em comparação a outras regiões, são mais baratos, o que atrai mais agricultores. "Há uma perspectiva de boa rentabilidade, principalmente a soja e a pecuária. O 'boom' das commodities agrícolas desde o começo da década, a melhoria da infraestrutura e o encarecimento da produção no Centro-Oeste, explicam a expansão em direção à Amazônia. Os Estados de ocupação agrícola mais antiga como Mato Grosso do Sul e Mato Grosso obtiveram taxas altas, mas sem o ritmo das décadas anteriores, revelando a estabilidade de sua estrutura fundiária e de sua produção agrícola", finalizou.
(Fonte: Uol on line // jornal O PARAENSE, postado por Ronaldo Brasiliense em 29abr.2011)


"TODA AÇÃO humana, que se torne positiva ou negativa, precisa depender da motivação" Dalai-Lama
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

O HUMOR de Waldez: Crateras


O TALENTO de J. Bosco: Doenças


A BEATIFICAÇÃO de João Paulo e a coleção de caixas de fósforo

Neste domingo Roma beatificará João Paulo II. Será uma grande cerimônia e terá muito significado, em especial para Belém. João Paulo esteve aqui em 1980. Ao tentar lembrar o episódio e reconstituir a visita, lembrei-me das pessoas, da cidade e dos pequenos fatos. Lembro especialmente de um fato muito curioso.
Na sala da minha casa tenho uma coleção de caixa de fósforos. São muitas e de diversos momentos da minha vida. Algumas, eu consegui. Outras, ganhei de amigos. Quem mais colaborou com minha coleção de caixa de fósforo foi o dr. Zeno Veloso, cada país ou Estado visitado por ele, me rendia uma caixinha. Ganhei fósforos da cidade onde Karl Max foi sepultado. Do bar onde Lênin tramou a revolução Russa. De Havana. De Miami.
A coleção tem muitas, mas muitas caixinhas de fósforos, como aquelas que são vendidas no souvenir do musical da Broadway e da West End: “The Phantom Of The Opera”.
Esta coleção começou por um acaso. Era 1980, e o Papa estava chegando em Belém. A Cidade toda estava em festa. Antes de ir assistir a passagem de João Paulo II, entrei num Supermercado. Comprei e quando fui pagar, ganhei um brinde. Uma bela caixa de fósforo com o rosto do Papa estampado. De lá para cá, voltei a rezar, ir a Missa, ter fé e colecionar as belas caixinhas e depois deste Domingo, quando Roma beatificar João Paulo II, contarei com mais uma Santo para interceder por mim e por Belém.
(do Blog do Zé Carlos)


'TODA AÇÃO humana, quer se torne positiva ou negativa, precisa depender da motivação.' Dalai-Lama

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

AS CRÔNICAS de Raimundo Sodré: Perdão

Não se surpreendeu quando o carteiro chamou pelo seu nome, lá do portão, aperreando-se para salvaguardar o envelope dos chuviscos de uma manhã de abril.

Confirmou o subscrito. Rasgou, desregradamente, o envelope, acomodou-se no sofá. Reconheceu ali um pedido sincero de perdão e as marcas de um tempo perdido:

“A verdade é um beijo que tem o amargo gosto da dor. Então, perdão, mon amour, pelas deliciosas mentiras seladas com doces beijos. Perdão, mon amour, pelos reluzentes coquetes contabilizados pelo tempo, como frivolidades líricas.

Tenho saudade de ti. A minha boca que te falou febril em tantos sonhos, mas que, acordada, te faltou; a minha voz que tanto sofreu, ansiosa por dizer verdades, e que, reprimida, maldisse em silêncio tantas vezes, as vazias conveniências, agora livre das garras da mentira, te confessa: tenho saudade de ti.

Perdão, mon amour, pela vilania de tantos beijos doces porque, hoje é tudo silêncio e tédio na minha vida sem ti.

Vê o meu mal: meu violão desafina na tua ausência. Meu coração mente dizendo ter a paz. Meus passos forjam caminhos buscando um lugar seguro. Mas que nada! Para meu pesar, a saudade de ti vem ferina, em semitons, em guerras e lágrimas. A saudade vem por vielas atapetadas com as dores da distância.

Minha vida é hoje permeada de ausências. A solidão me abate... No coração, a lembrança triste de um dia em que as tuas mãos se eternizaram, cruelmente, num aceno...(que cena que me tortura, que me corrói, que me condena a te procurar, arrependido, todos os dias num adeus).

Perdão, mon amour, se a mentira, por anos, se travestiu em enganosos doces sabores. Se o temor verdadeiro de um beijo te trouxe melífluas impressões (que eu sei, que eu sei não serem mais possíveis porque sempre foram irreais).

Tenho saudade de ti e minha canção na noite de lua te chama para um beijo perdido longe na lembrança de um dia feliz, em que me apaixonei pelo brilho dos teus olhos de mel.

Deus!Quanto mal te fiz! E por que te fiz ser triste? Se eu sempre te quis...Eu sempre te quis.

Perdão, mon amour. Que a saudade me pegou em francês e a minha vida é brisa frágil agora, cuidando, cuidando para não se quedar ao tempo ruim.

Ai de mim que te perdi.
Pelo doce dos beijos que te dei, perdão, mon amour, Perdão.”

Largou a carta sobre o sofá e saiu para cuidar da vida. Ponderando, sim, as mínimas, as rarefeitas possibilidades de um perdão. Pesando, sim, as chances de um perdão, mas ao mesmo tempo, perguntando-se se algum dia iria entender um tantinho sobre essas coisas ininteligíveis do amor.
(do Blog do Raimundo Sodré)

"SE VOCÊ não for melhor amanhã do que foi hoje, então qual a sua serventia para amanhã?" Rabbi Nahman of Breslov

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

RANKING de clubes é divulgado pela CBF para 2011


A CBF divulga ranking dos clubes brasileiros que vale para as competições de 2011. Adivinha qual o clube paraense que está na frente?

Clique aqui para conferir.

Acertou. Dá-lhe Leãããããõooooooooooo!!!

JOÃO PAULO II será beatificado neste domingo

Cerimônia deixa o "Papa Peregrino" a um passo do título de santo. Em Belém, paróquias fazem programação especial em homenagem ao Sumo Pontífice que revolucionou o século XX através do amor.

Admiradores guardam boas lembranças

Mais de um milhão. Esta é a estimativa para o número de pessoas que chegarão a Roma para acompanhar de perto a cerimônia de beatificação do Papa João Paulo II, que acontecerá neste domingo, 1º de maio. Sem contar outras centenas de milhares de pessoas que viverão, através da TV e internet, o momento em diversas partes do planeta.

A explicação para tanta mobilização e comoção é simples: é o resultado da gratidão por uma vida de pastor dedicada integralmente ao povo de Deus. O polonês Karol Wojtyla, o "Papa Peregrino", como também ficou conhecido, deixou seu legado de amor por onde passou, e hoje, seis anos após sua morte, o mesmo povo que ele conquistou vive com extrema alegria esse momento único na Igreja.

MARLON, jogador acostumado a marcar em RE-PA



Marlon gosta é de fazer gol no rival bicolorForam quatro gols marcados nos últimos cinco clássicos disputados. Ele conseguiu balançar as redes de cabeça, de falta e até de escanteio - gol olímpico. O lateral-esquerdo Marlon, do Clube do Remo, sabe exatamente qual é a sensação de marcar gols em um Re-Pa. Na partida do primeiro turno, saiu da cabeçada de Marlon o gol de empate do Leão, que até então perdia por 1 a 0, mas que ao final venceu por 3 a 1.

O jogador explica que o time sempre procura fazer um bom trabalho durante a semana que antecede o clássico Rei da Amazônia. Para manter a invencibilidade dos azulinos, que há cinco partidas não perdem para o maior rival, o pensamento de Marlon não poderia ser outro. "Espero que domingo a minha estrela volte a brilhar e eu possa ajudar a minha equipe a sair com o resultado positivo", torce o atleta.

Naquela partida, o time remista ainda sofria com a falta de precisão dos atacantes da equipe. Hoje, os "homens de frente" já acertaram o pé mas, se precisarem, Marlon vai estar lá para ajudar. "Temos grandes jogadores ali no ataque. Esperamos que eles decidam o clássico em nosso favor. Eu espero poder atuar bem no Re-Pa, quem sabe fazendo gol", explica o lateral azulino.    (Diário do Pará, edição de 29abr.2011)

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

VERDADES do futebol que insistem em nos empurrar goela abaixo

Do Blog do DJ Leão

SAUDAÇÕES azulinas online!

POR ESSAS e outras é que o velho esporte bretão é realmente apaixonante. No esporte, porém, há algumas 'verdades' com as quais ouso não concordar. Vou dizer de apenas duas: uma é opinião quase unânime; outra uma situação de fato, até bastante corriqueira. 

Primeiro, a opinião. Já me cansei de ouvir desses teóricos que, no futebol, pululam alarmantemente (e eu me incluo  na categoria de teóricos, mas não comungo da opinião), que o escore de 2 a 0 é um placar arriscado. É que o time que está ganhando por 2 a 0 tende a ficar indeciso de qual postura tomar, tentar fazer mais  gols ou se fechar para garantir a vitória, dizem. Eu, por mim, acho o placar arriscado sim, mas para quem está perdendo; esse sim, já tendo a derrota decretada, não tem outra opção a não ser se arriscar  a levar mais gols, indo ao ataque, e se abrindo muito mais. Houvesse uma estatística sobre essa questão, eu acredito que o resultado seria muito mais times vencedores quando fazem primeiro 2 a 0, que o contrário. Eu prefiro  ver o meu time virar o primeiro tempo ganhando de 2 a 0, que perdendo por esse placar. Essa 'verdade' é na verdade uma grande mentira.

Segundo, o fato. O atacante que cai na área adversária e, não marcando o penal, o árbitro automaticamente lhe dá cartão amarelo. Esse cartão é certo, mais certo do que em uma falta intencional, que, segundo os expertos no assunto, depende da interpretação da autoridade máxima do espetáculo, sua excelência o mediador da contenda. Na caída na área, não; é uma recomendação da International Board que os todo-poderosos do apito seguem à risca, cegamente. O futebol - desnecessário dizer - é futebol de contato, então é comum,  normal, muito normal, ainda mais na grande área em lance de ataque, haver contato físico e um dos dois, por culpa das leis da Física - quando não os dois -, caírem, sem que isso se constitua em penalidade ou seja simulação. Normal, então. Para se dar um cartão, sua excelência tem de ter certeza absoluta da simulação, sob pena de cometer uma grande injustiça. Se for o segundo amarelo, certamente penalizará ainda mais o time a que pertence o atacante apenado, podendo, na maioria das vezes, interferir no resultado da peleja.

Por hoje é só.

Fiquem com o bom Deus e...
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

POEMAS de Gena Maria: Meditando...

Hoje estive meditando sobre
Minha vida, meus poemas,
Meus sonhos, minhas ilusões...
E cheguei a várias conclusões:

"Sou sonhos, sou amor, sou meus versos
Sou saudade, sou ilusão...
Sou alegria, sou tristeza, sou a certeza...
Que estou viva... que amo e sou amada!
Sou mensagens de alegria, de tristeza,
De desilusão, de satisfação, sou versos
Que falam ao coração...

Sou o soneto, que fala do amor...
Realizado, insatisfeito ou iludido...
Sou o poema, que implora por amor,
Que sente saudade... que sorri na tristeza...
E muitas vezes, chora de alegria!

Sou a poesia, em cada verso que digito...
Sou a paixão, em cada palavra que escrevo...
Sou o amor, em todas as suas formas
Expressas em minhas estrofes e versos!
Sou na maioria dos meus escritos...
Tudo que sinto por você...
Meu único e eterno amor.”

(do Blog MEUS POEMAS, Gena Maria, Marília - 18ago.2009, reeditado em 17abr.2010)


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

EM BELÉM casais de segunda união são acolhidos

Novidade para os casais em segunda união. A Basílica Santuário de Nazaré ainda realiza inscrições para o 12º Encontro de Casais em Segunda União, que acontecerá nos dias 30 de abril e 1º de maio, no Centro Social de Nazaré.

O evento é organizado pelo grupo Bom Pastor, que faz parte do setor casos especiais da Pastoral Familiar, que realizam um serviço de acolhida e evangelização de casais em segunda união, e tem como diretor espiritual o padre Giovanni Incampo. Segundo Benildo Cruz e Eliane Santiago, da coordenação, o objetivo principal desse encontro é evangelizar. "No encontro haverá estudo bíblico, palestras, entre outras programações", afirma Benildo.

Para participar do encontro, o casal deve preencher a ficha de inscrição, que está disponível na sacristia e no balcão de informações da Basílica de Nazaré. A inscrição é gratuita.

No primeiro dia do encontro, 30 de abril, a programação começará às 14h30 e irá até 19h. No dia seguinte, o evento inicia-se 7h30 e segue até 19h. Haverá lanches e almoço aos encontristas. Mais informações pelos telefones (91) 3081-7114 / 8192-3959. Ou pelo e-mail: bompastor.secretaria@hotmail.com.
(Voz de Nazaré, edição nº 456, 29abr. a 05maio2011)

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

ESPAÇO Literário: O empréstimo

Machado de Assis em sua fase madura
VOU DIVULGAR uma anedota, mas uma anedota no genuíno sentido do vocábulo, que o vulgo ampliou às historietas de pura invenção. Esta é verdadeira; podia citar algumas pessoas que sabem tão bem como eu. Nem ela andou recôndita, senão por falta de um espírito repousado, que lhe achasse a filosofia. Como deveis saber, há em todas as cousas um sentido filosófico. Carlyle descobriu o dos coletes, ou, mais propriamente, o do vestuário; e ninguém ignora que os números, muito antes da loteria do Ipiranga, formavam os sistemas de Pitágoras. Pela minha parte creio ter decifrado este caso de empréstimo; ides ver se me engano.

O TALENTO de J. Bosco: Vacinação


O HUMOR de Waldez: Enchente


quinta-feira, 28 de abril de 2011

POPULAÇÃO armada: um gol contra, um tiro no próprio pé

PASSADAS apenas algumas semanas daquele trágico, triste e absurdo episódio em que um louco, alucinado, psicopata tirou a vida de 12 inocentes em uma escola pública do Rio de Janeiro, e pouco ou quase nada vejo nos jornais, na televisão, rádio e mesmo na internet sobre o assunto. A resposta para esse silêncio até tenho: passou o período de impacto, de perplexidade da população, e consequentemente, o fato já não vende mais; não é mais notícia. Tampouco as autoridades, vejo se moverem.  A banda passou, e cada qual no seu canto e em cada canto uma dor, como disse Francisco Buarque de Holanda há 45 anos.

Será, infelizmente, necessário ocorrer uma outra tragédia de igual ou de maiores proporções para que muitos voltem a falar sobre o que podemos fazer para - não digo coibir, isso seria uma utopia - minorar o problema, por conseguinte salvando ainda muitas vidas inocentes da arma de fogo guardada numa gaveta ou no porta-luvas de um automóvel.

Volto, não temendo opiniões contrárias daqueles que - na ilusão de defesa própria e mesmo da família - torcem o nariz para o desarmamento do homem de bem, a tocar nesse delicado assunto. Nem orações, nem tristezas ou palavras de consolo, nada neste mundo trará de volta a vida da filha de um colega nosso (da Aeronáutica), que, revoltada pela transferência da família para outra cidade, foi ao guarda-roupa do casal, apanhou aquele revólver e tirou a própria vida. O assunto, eu sei, é complexo: a vida não é uma ciência exata.  Há outras inúmeras variáveis em cada caso particular, sendo a maior delas, no meu humilde conceito de vida, a falta de Deus nos lares e nos corações de muitos de nós.
Muitos vão dizer, como já disseram, que o rapaz, autor da tragédia do Rio, poderia, em vez de uma arma, agir de outro e qualquer modus operandi, lançando mão de um incêndio, uma explosão, um facão... Tudo isso é verdade. No entanto, verdade seja dita, a população naquele plebiscito de 2005 acabou, ainda que influenciada pelos meios de comunicação social, dando um tiro no próprio pé; marcou um gol contra.
O Senhor Jesus bate à porta.
 Um outro colega de farda certa vez, em Brasília, num acidente de trânsito, precipitou-se e tirou a vida de outro irmão. Ele tinha uma arma (legalizada) no seu carro, e assustou-se com a aproximação hostil (na sua avaliação) do cidadão do outro carro. Foi condenado. Duas vidas - sem contar a dor das famílias envolvidas - ceifadas; um assassinado; outro a apodrecer numa cadeia.

Ficaria aqui a digitar, enumerando tantos outros casos, mas creio não ser necessário tanto. O  homem, a mulher, todos enfim que são do bem hão de concordar comigo. Sei que não vai acabar com a violência o desarmamento da população, mas, cabe aqui uma pergunta: quantas vidas foram perdidas de lá - da  vigência do plebiscito - até agora?
Um abraço fraternal a todos. Fiquem na paz do Senhor Deus e...

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

O HUMOR de Waldez: Feira livre


CLUBE DO REMO confiante para o clássico do dia do trabalhador

Clube do Remo confiante no ataque para o clássico (Foto: Mário Quadros)
(Foto: Mário Quadros, DP)
O Clube do Remo realizou quarta-feira (27) pela manhã o primeiro treino coletivo antes do clássico contra o Paysandu.

O TALENTO de J. Bosco: Sujou!


FRANCISCO Beltrão lidera geração de empregos no Sudoeste paranaense em março





Por Niomar Pereira
O município de Francisco Beltrão liderou a geração de empregos no Sudoeste no mês de março. Foram admitidas 1.031 pessoas e demitidas 861 no mesmo período, perfazendo um saldo positivo de 170 vagas. Outros municípios da região também tiveram desempenho favorável. A liderança na geração de empregos nos últimos 12 meses é de Pato Branco com 1.296 novos postos, seguido por Francisco Beltrão com 1.179, Dois Vizinhos 946 e Palmas 379. As informações estão no relatório mensal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em 2011, os setores que mais cresceram no município beltronense foram o da indústria de transformação e a área de serviços. O primeiro com 208 empregos positivos e o segundo com 173.

Setor de serviços

O empresário Idalino Menegotto não se surpreende com a ascensão do setor de serviços. Segundo ele, no início da década de 1990 a área de serviços representava no Brasil apenas 18% no quadro de geração de empregos, enquanto nos países desenvolvidos alcançava índices entre 70% e 80%. "Hoje a área de serviços deve responder por aproximadamente 30% da geração de emprego no país, portanto ainda temos muito campo para crescer", comenta.

A expansão da área de serviços, explica, está relacionada à profissionalização de setores da economia que no passado eram generalizados. Ele compara analogicamente com a área da saúde que aumentou expressivamente o campo de atuação após o surgimento de novas especialidades. O mesmo ocorre em setores como a construção civil ou a educação. "A partir do momento que você cria mais subdivisões do trabalho a tendência é que se tenha mais qualidade e individualidade na prestação de serviço", sublinha.
Qualificação

Quem se especializar na área de serviços tem emprego garantido, devido a alta demanda do mercado de trabalho. A diretora da Unidade de Preparação da Mão de Obra (UPMO) de Francisco Beltrão, Tânia Jung dos Santos, afirma que 80% dos alunos que frequentam os cursos da instituição saem empregados.

No ano passado foram capacitadas cerca de 360 pessoas em diversos ramos. Agora, por exemplo, estão em andamento turmas nos cursos de instalador hidráulico, pedreiro, torneiro repuxador de alumínio, mecânica com injeção eletrônica, corte de cabelo e manicure.

Ela conta que há muitos jovens procurando capacitação nesses segmentos, principalmente no curso de mecânica. A maioria com o ensino médio, mas a dirigente admite que há um número considerável de pessoas com nível superior que começam a migrar para os cursos mais técnicos. "Às vezes apenas o diploma não garante uma colocação efetiva no mercado de trabalho", observa. (do Jornal de Beltrão, edição de 27abr.2011)

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

É SEMPRE BOM ser legal com as pessoas...

OBSERVE BEM A FOTO

Dica do dia

É sempre bom ser legal com as pessoas, porque.....


... as coisas mudam ao longo do tempo!!!

"Nunca desvalorize ninguém...
Guarde cada pessoa  perto do seu coração, porque um dia você pode acordar e perceber que perdeu um diamante enquanto estava muito ocupado colecionando pedras." 
(colaboração do amigo Carlos Alberto Pereira, via internet)

Fiquem com o bom Deus e...
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
 

O TALENTO de J. Bosco: Laranjada na Assembleia


O HUMOR de Waldez: Laranjas na ALEPA


DIRETAMENTE da África para Belém, Pará

Sagração do bispo auxiliar poderá ser transmitida pela TV Nazaré

Os paraenses poderão acompanhar ao vivo a celebração de sagração episcopal do novo Bispo Auxiliar de Belém, padre Teodoro Mendes Tavares (foto), que será realizada no dia 8 de maio, em Cabo Verde, África, através da TV Nazaré. O acordo de concessão do sinal com a TV local que será a responsável pela cobertura está sendo feito pela comissão organizadora da ordenação, para viabilizar a transmissão.

Em mensagem ao Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, padre Teodoro acredita em um resultado positivo. “Estamos esperançosos, até porque já o fizeram antes”. Ainda na mensagem, padre Teodoro envia saudações a toda Arquidiocese. E deseja uma santa Semana Santa e abençoada Páscoa ao povo, ao clero e a Dom Alberto e a Dom Vicente Zico, Arcebispo Emérito.

Em Belém, os preparativos para a chegada do novo bispo auxiliar continuam. Na casa episcopal, seu quarto e enxoval já estão sendo preparados. A comitiva que acompanhará de perto a celebração de ordenação de padre Teodoro em Cabo Verde é formada por 18 pessoas, entre sacerdotes e leigos que viajarão com Dom Alberto e Dom Vicente. “Será uma grande alegria receber todos vocês. Fico feliz com o número significativo dos presbíteros que estarão presentes. Apesar de algumas limitações, teremos muito gosto em vos acolher e hospedar-vos, fraternalmente, como manda a caridade cristã. Desde já, sejam todos bem-vindos a Cabo Verde!”, afirmou padre Teodoro.

Ainda na mensagem, o futuro bispo auxiliar agradeceu o carinho e acolhida de Dom Alberto. “Vejo que é elevada vossa estima por mim e grande o desejo em acolher bem. Naturalmente que agradeço-lhes, muito D. Alberto, e vou vos recomendando ao Senhor por todos vocês, aos pés de N. Sra. de Fátima. Ter-vos-ei presente nas minhas orações ao Senhor. Um grande abraço ao senhor e a D. Vicente, com toda a amizade”. 
(Voz de Nazaré, edição nº 455, de 22 a 28abr.2011)

"SE NÃO existe esforço, não existe progresso." Frederick Douglas
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
 

terça-feira, 26 de abril de 2011

OS INSONDÁVEIS designios do Senhor

ERA UMA vez um homem que tinha dois filhos. Um foi poeta e o outro ingressou nas legiões romanas. Um dia o pai morreu e sua alma foi salva. Lá lhe foi falado que um de seus filhos, quase dois mil anos passados, até hoje, tinha uma de suas citações lembrada por quase toda a humanidade. Com efeito, centenas de milhões, bilhões de homens e mulheres, ontem, hoje e sempre, repetem as palavras que um dia foram pronunciadas diante de um galileu chamado Jesus por um de seus filhos. Quanta honra, não dá para imaginar quão faceiro ficou o homem ao saber disso. 

Certo tempo depois dessa notícia, o homem ardeu por saber quais palavras seu filho, que foi em vida poeta, divertiu e emocionou tanta gente, havia dito um dia ao Galileu que, de tão marcantes, perpetuaram-se pelos séculos e séculos.  

"É verdade, um de seus filhos, grande poeta que foi, divertiu e emocionou a muitos por conta de seu  invulgar talento com as palavras, mas o fato é que foi em vida apenas um homem comum. Na realidade, quem até hoje comove o mundo com suas palavras foi o seu outro filho, aquele que certa vez ingressou nas legiões romanas e, anos depois, já na patente de centurião,  foi ter com o mestre Jesus em busca de alívio e cura a um de seus empregados, a quem muito estimava. Jesus quis ir até a casa do centurião, mas este lhe disse assim: 'Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha casa, mas dizei uma palavra e meu empregado será curado'. Diante das palavras daquele oficial romano, um pagão, o Senhor Jesus comoveu-se com tamanha fé, e o empregado do centurião ficou curado naquela mesma hora". 

   Toda a estória para dizer como são insondáveis os designios do Senhor Deus. Não julguemos, não julguemos naquele sentido de 'condenar', pois o Senhor conhece o coração de cada um de nós, ciente de tudo, de todos os 'porquês' e circunstâncias. As aparências muitas vezes nos enganam; a Deus jamais.

Fiquem com o bom Deus e...
LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

COISAS do Rio Grande: Eu gostava do meu cusco!

ESPAÇO Literário: O problema dos cinco discos

MAÇUDI, o famoso historiador árabe, nos 22 volumes de sua obra, fala dos sete mares, dos grandes rios, dos elefantes célebres, dos astros, das montanhas, dos diferentes reis da China e de mil outras coisas, e não faz a menor referência ao nome de Dahizé, filha única do Rei Cassim, o Indeciso. Não importa. Apesar de tudo, Dahizé não ficará esquecida, pois entre os manuscritos árabes foram encontrados mais de 400.000 versos, nos quais centenas de poetas louvam e exaltam os encantos e predicados da famosa princesa. A tinta gasta para descrever a beleza dos olhos de Dahizé, transformada em azeite, daria para iluminar a cidade do Cairo durante meio século.
  "É exagero", direis.
  Não admito o exagero, ó irmãos dos árabes! O exagero é uma forma disfarçada de mentir!
  Passemos, porém, ao caso que nos interessa.
  Quando Dahizé completou 18 anos e 27 dias de idade, foi pedida em casamento por três príncipes cujos nomes a tradição perpetuou: Aradim, Benefir e Camozã.
  O rei Cassim ficou indeciso. Como escolher, entre os três ricos pretenentes, aquele que deveria ser o noito de sua filha? Feita a escolha, a consequência fatal seria a seguinte: ele, o rei, ganharia um genro, mas, em troca, adquiriria dois rancorosos inimigos! Péssimo negócio para um monarca sensato e cauteloso, que desejava viver em paz com seu povo e seus vizinhos.
  A princesa Dahizé, consultada, afinal, declarou que se casaria com o mais inteligente dos seus apaixonados.
 A decisão da jovem foi recebida com grande contentamento pelo rei Cassim. O caso, que parecia tão delicado, apresentava uma solução muito simples. O soberano árabe mandou chamar os cinco maiores sábios da corte e disse-lhes que submetessem os três príncipes a um rigoroso exame.
  Qual seria, dos três, o mais inteligente?
  Terminadas as provas, os sábios apresentaram aos monarca minucioso relatório. Os três príncipes eram inteligentíssimos. Conheciam profundamente matemática, literatura, astronomia e física; resolviam complicados problemas de xadrez, questões sutilíssimas de geometria, enigmas arrevesados e charadas obscuras!
  - Não encontramos artifício - concluíram os sábios - que nos permitisse chegar a um resultado definitivo a favor deste ou daquele!
  Diante desse lamentável fracasso da ciência, resolveu o rei consultar um dervixe que tinha fama de conhecer a magia e os segredos do ocultismo.
  O sábio dervixe disse ao rei:
  - Só conheço um meio que vai permitir determinar o mais inteligente dos três! É a prova dos cinco discos!
  - Façamos, pois, essa prova - concordou o rei.

  Os três príncipes foram levados ao palácio. O dervixe, mostrando-lhes cinco discos de madeira muito fina, disse-lhes:
  - Aqui estão cinco discos, dos quais dois são pretos e três brancos. Reparai que eles são do mesmo tamanho e do mesmo peso, e só se distinguem pela cor.
  A seguir, um pajem vendou cuidadosamente os olhos dos três príncipes, deixando-os impossibilitados de distinguir a menor sombra. 
  O velho dervixe tomou então ao acaso três dos cinco discos e pendurou-os às costas dos três pretendentes.
  Disse, então, o dervixe:
  - Cada um de vós tem preso às costas um disco cuja cor ignora! Sereis interrogados um a um. Aquele que descobrir a cor do disco que lhe coube por sorte será declarado vencedor e casará com a linda Dahizé. O primeiro a ser interrogado poderá ver os discos dos dois outros concorrentes; ao segundo será permitido ver o disco do último. E este terá que formular a sua resposta sem ver coisa alguma! Aquele que der a resposta certa, para provar que não foi favorecido pelo acaso, terá que justificá-la por meio de um raciocínio rigoroso, metódico e simples. Qual de vós deseja ser o primeiro?
  Respondeu prontamente o príncipe Camozã:
  - Quero ser o primeiro!  
  O pajem retirou a venda que cobria os olhos do príncipe Camozã, e este pode ver a cor dos discos que se achavam presos às costas de seus rivais.
  Interrogado, em segredo, pelo dervixe, não foi feliz na resposta. Declarado vencido, foi obrigado a retirar-se do salão. Camozã viu dois dos discos e não soube dizer, com segurança, qual a cor do seu disco.
  O rei anunciou em voz alta, a fim de prevenir os dois outros:
  - O jovem Camozã acaba de fracassar!
  - Quero ser o segundo - declarou o príncipe Benefir.
  Desvendados os seus olhos, o segundo príncipe olhou para as costas do terceiro e último competidor e viu a cor do disco. Aproximou-se do dervixe e formulou, em segredo, a sua resposta.
  O dervixe sacudiu negativamente a cabeça. O segundo príncipe havia errado, e foi logo convidado a deixar o salão. 
  Restava apenas o terceiro concorrente, o príncipe Aradim.
  Este, logo que o rei anunciou a derrota do segundo pretendente, aproximou-se, com os olhos ainda vendados, do trono, e declarou, em voz alta, a cor exata de seu disco.

  Concluída a narrativa, o sábio cordovês voltou-se para Beremiz e interrogou-o:
  - O príncipe Aradim, para formular a resposta certa, arquitetou um raciocínio rigorosamente perfeito; esse raciocínio levou-o a resolver, com absoluta segurança, o problema dos cinco discos e conquistar a mão da formosa Dahizé. 
  Desejo, pois, saber:
  1º - Qual foi a resposta do príncipe Aradim?
  2º - Como descobriu ele, com a precisão de um geômetra, a cor de seu disco?

  De cabeça baixa, refletiu Beremiz durante alguns instantes. E depois, erguendo o rosto, passou a discorrer sobre o caso, com desembaraço e segurança. E disse:
  - O príncipe Aradim, herói da curiosa lenda que acabamos de ouvir, respondeu, certamente, ao rei Cassim, pai de sua amada:
  - O meu disco é branco!
  - E qual foi o raciocínio que ele fez para chegar a essa conclusão certa e infalível?
  - O raciocínio do príncipe Aradim foi o seguinte:

  O primeiro pretendente, Camozã, antes de responder, pôde ver os discos que haviam sido colocados em seus rivais. Viu esses dois discos e errou. Convém insistir: dos cinco discos (três brancos e dois pretos) Camozã viu dois e, ao responder, errou.
  E errou por quê? Errou porque respondeu por palpite, na incerteza.
  Ora, se ele tivesse visto, em seus rivais, dois discos pretos, não teria errado, não ficaria em dúvida, e diria logo ao rei: "Vejo, em meus competidores, dois discos pretos, e, como, só há dois discos pretos, o meu é forçosamente branco".
  ... Mas Camozã, o primeiro noivo, errou. Logo, os discos que ele viu não eram ambos pretos.
  Ora, se esses discos, vistos por Camozã, não ambos pretos, só há duas hipóteses: 
  1ª hipótese: Camozã viu um disco preto e outro branco.
  2ª hipótese: Camozã viu dois discos brancos.

  De acordo com a primeira hipótese (refletiu Aradim) o meu disco era branco.
  Resta, apenas, analisar a segunda hipótese:
   Vamos supor que Camozã tenha visto um disco preto e outro branco. Com quem estaria o disco preto?
  Se o disco preto estivesse comigo (raciocinou Aradim), o segundo pretendente teria acertado.
  Com efeito. O segundo noivo da princesa teria feito o seguinte raciocínio:
  - Vejo no terceiro competidor um disco preto; se o meu também fosse preto, o primeiro candidato (Camozã), ao ver dois discos pretos, não teria errado. Logo, se ele errou  (poderia concluir o segundo candidado), o meu disco é branco.
  Mas, o que ocorreu? O segundo pretendente também errou. Ficou na dúvida. E ficou na dúvida por ter visto em mim (refletiu Aradim) não um disco preto, mas um disco branco.
  Conclusão de Aradim:
  De acordo com a segunda hipótese, o meu disco também é branco. 
  - Foi esse - concluiu Beremiz - o raciocínio feito por Aradim para resolver, com segurança, o problema dos cinco discos, ao declarar ao dervixe:
  - O meu disco é branco!
  O sábio cordovês, tomando, logo a seguir, da palavra, declarou ao califa, num ímpeto de irreprimível admiração, que a solução dada por Beremiz ao problema dos cinco discos havia sido completa e brilhantíssima.
  O raciocínio, formulado com clareza e simplicidade, apresentava-se impecável para o geômetra mais exigente.

  Assegurou, ainda, o cordovês, que as pessoas ali presentes no rico divã do rei haviam, em sua totalidade, compreendido o problema dos cinco discos, e que seriam capazes de repeti-lo, mais tarde, para qualquer caravaneiro do deserto.
  Um cheique iemenita, que se achava na minha frente, sentado numa almofada vermelha, tipo moreno, mal-encarado, cheio de jóias, murmurou a um amigo, oficial da corte, que se encontrava ao seu lado:
  - Está ouvindo, capitão Sayeg? Afirma esse pândego, lá de Córdova, que todos nós aqui entendemos essa história de disco preto e disco branco. Duvido muito, Eu, por mim, confesso: não entendi nada!
  E acrescentou:
  - Só mesmo um dervixe cretino teria essa ideia aloucada de pregar discos pretos e brancos nas costas dos três noivos. Não acha? Não seria mais prático promover uma corrida de camelos no deserto? O vencedor seria o escolhido e estaria tudo acabado. Não acha?
  O capitão Sayeg não respondeu. Parecia não dar a menor atenção ao iemenita de poucas luzes que achava acertado resolver o problema sentimental com corridas de camelo no deserto.

  O califa, com ar afável e distinto, declarou Beremiz vencedor da sexta e penúltima prova do concurso.
  Teria o nosso amigo calculista o mês êxito na prova final? Seria coroado com o mesmo brilhantismo?
  Ora, só Allah sabe a verdade!
  Mas, afinal, as coisas pareciam correr à medida dos nossos desejos.

 (Malba Tahan in: O Homem que Calculava)




"QUANDO ouço alguém suspirar 'a vida é dura', eu fico sempre tentado a perguntar: 'comparada a quê?'" Sydney J. Harris


LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo

FRAUDE na ALEPA tinha empregados domésticos como 'laranjas'

O Ministério Público do Estado já colheu o depoimento de 14 'fantasmas' ou 'laranjas' da Assembleia Legislativa. Segundo o promotor Arnaldo Azevedo, muitos dessas pessoas sequer sabem o endereço daquela Casa. Os protagonistas do esquema, que tem denegrido a imagem do Poder Legislativo, enganavam pessoas humildes para conseguir desviar dinheiro dos cofres públicos. Grande parte dos fantasmas morava no bairro da Terra Firme, em habitações precárias, sendo que a maioria teve seu nome envolvido no golpe por serem trabalhadores domésticos de funcionários da Alepa que faziam parte do esquema ou de algum conhecido dos fraudadores. 'Eles (laranjas) entregavam os documentos com a promessa de que no final do ano receberiam brinquedos ou cestas básicas', revela Arnaldo. Sem saber, essas pessoas eram incluídas na folha de pagamento com salários que variavam de R$ 4 mil a R$ 16 mil.

A ARTE DE Atorres: No hospital


O HUMOR de Waldez: Dilma e a Copa de 2014



O TALENTO de J. Bosco: Copa de 2014


CORDIAIS saudações a todos

BOM dia. As minhas saudações cordiais a todos os amigos que nos visitam.
Devo aqui pedir desculpas a todos os nossos amigos visitantes. Prometi outra vez postar aqui, por capítulos, o livro 'Barões e Escravos do Café', de Sonia Sant'Anna. E até vinha postando, na verdade, chegando ao 10º capítulo. Ocorre que, mais tarde a autora lembrou-se de que os direitos não lhe pertencem mais e sim à editora, inclusive em mídia, e dessa forma gentilmente enviou-me mensagem informando do mal-entendido. Pediu-me desculpas, e nem precisava. Bastou a boa-vontade. De qualquer forma, trata-se de excelente livro, cuja leitura recomendo a todos. 
Obrigado à escritora Sonia Sant'Anna
Seguindo nossa linha de conduta, postaremos outras obras, com a devida autorização dos respectivos detentores do direito autoral.
Um grande abraço a todos e...

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

LIBERDADE é uma calça velha

LIBERDADE é uma calça velha azul e desbotada que você pode usar do jeito que quiser...
Quem de nós, na faixa dos 40 em diante, não ouviu essa música? Quem ainda lembra? Pois é, essa era uma das minhas prediletas, daquelas que a gente lembra até hoje. A tevê daquela época apresentava também, entre tantas lembranças boas, outras legais como aquele comercial em desenho da Varig no período de natal: ...Papai noel voando a jato pelo céu, trazendo um natal de felicidade, e um ano novo cheio de prosperidade. Varig, Varig, Varig! A Varig, é verdade, faliu, mas a música ficou na nossa mente. Outro que faliu foi o Bamerindus, mas do rádio eu lembro da propaganda: O tempo passa, o tempo voa, e poupança Bamerindus continua numa boa...

As coisas de qualidade eram as importadas, e calça era lee - só um pouco depois veio a US Top da música -; óculos tinha de ser Rayban e toca-fitas (quem não lembra dessa velharia?) bom era só Road-Star; relógio de qualidade era da marca Seiko. O resto não tava com nada.



O vídeo acima é a abertura de Daniel Boone. Eu não perdia um. Até hoje lembro de Mingo (Ed Ames), o índio amigo de Daniel Boone, que dava nome à série, vivido por Fess Parker. E ainda co-estrelava Patricia Blair, que na série era esposa de Boone. 
O dublador era um show à parte, com a sua voz inigualável. Só agora, bem mais tarde, na vigência da internet que fui saber o autor daquela voz: Carlos Alberto Vaccari, já falecido, foi nosso colega de farda; talvez tenha sido, pela qualidade excepcional do vocal, um controlador de vôo. Respeitando outros dubladores como Orlando Drumond,  o seu Peru da Escolinha do Professor Raimundo, e Borges de Barros, o mendigo rico da antiga Praça da Alegria, além de muitos outros, feras,  a voz de Vaccari, para mim, não foi até hoje superada nesse trabalho. Era dele também a voz  impagável de Mingo.

'Versão brasileira: AIC São Paulo'. Essa era a apresentação da empresa que dublava a série para o Brasil, hoje já extinta. Essa fala não aparece no vídeo acima.

Enfim, apresento nesta postagem a todos - principalmente os da minha faixa etária ou mais - mais uma SESSÃO NOSTALGIA. Tempos bons!

"O HOMEM é feito de tal modo que quando alguma coisa incendeia a sua alma, as impossibilidades desaparecem." Jean de La Fontaine

LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

A RIQUEZA da Igreja


Olá
Gostaria de fazer uma pergunta ao senhor

Por que as Igrejas, o Vaticano, etc...São lugares tão ricos e exuberantes cheios de detalhes em ouros e peças raras sendo que há tanta gente no mundo que precisa de ajuda não seria mais util pegar todo esse ouro e usar para ajudar aos pobres??? Afinal Jesus era pobre vivia na miséria e nem ele e nem nenhum de seus apostolos precisavam de Igrejas com detalhes de ouros, batinas, roupas especiais, para poderem espalhar a palavra de Deus???

Aguardo a resposta e desde já muito obrigado
Dede, Campo Grande - MS


RESPOSTA

Muito prezado Philippe, salve Maria!

Sua pergunta é sobre a riqueza na Igreja. Muitos querem hoje se escandalizar com ela, como se a Igreja não pudesse ou não devesse ter riquezas. Em parte, esse questionamento vem da visão comunista igualitária atual que pretende condenar toda a riqueza e toda a autoridade.

A riqueza é boa e, como todos os bens, deve ser corretamente usada. O mau uso de um bem é que deve ser condenado e não o bem em si, pois o abuso não tolhe o uso. Assim, se uma pessoa resolve utilizar seu automóvel para atropelar e matar outros, nem por isso o carro deixará de ser bom. O abuso dela não deve ser usado como pretexto para se tolher o uso do bem (no caso o automóvel).

Da mesma forma é com a riqueza que, sendo bem usada, torna-se um excelente instrumento da Providência para socorrer os mais pobres, promover a caridade e amparar os necessitados.

É o que a Igreja fez desde sua fundação por Nosso Senhor Jesus Cristo. De fato, contam os Atos dos Apóstolos que os cristãos depositavam aos pés dos apóstolos seus bens para que pudessem ser usados pela Igreja. Esses recursos eram usados para socorrer os mais necessitados. Evidentemente tal prática não seria possível hoje com a expansão que a Igreja Católica, graças a Deus, teve. Mas isso não exime os cristãos de fazerem caridade, de usarem seus bens para ajudar os que precisam.

Como obras de caridade que a Igreja – sempre gratuitamente – fez, podemos citar os orfanatos, as escolas, os asilos e os hospitais. Todas essas sendo novidades criadas pela Igreja e usadas sempre para socorrer os pobres. Tal fato marcou tanto os pagãos que Juliano Apóstata, no desejo de acabar com a religião verdadeira e fazer reviver o derrotado paganismo, criou instituições para imitar essas práticas cristãs. Evidentemente não deu certo. Não existe verdadeira caridade sem a verdade fé. Em outras palavras, não pode a ONU querer com a filantropia substituir a Igreja na caridade.

E como poderia a Igreja Católica fazer tudo isso sem dinheiro? Por essa razão que durante os séculos inúmeras pessoas (muitas delas haviam sido pessoalmente ajudadas pela Igreja em suas vidas) doaram bens para as congregações, institutos e comunidades religiosas. Veja que Cristo elogiou a viúva que, mesmo sendo pobre, fez sua doação ao Templo (Lc 21, 1-4).

E a Igreja usou bem o dinheiro.

Havia universidades (outra invenção católica), escolas, hospícios, etc. para todos os necessitados. E as freiras, religiosos e padres cuidavam com suas próprias mãos dessas pessoas. Como faziam por amor a Deus o faziam com bom vontade, com paciência e caridade. Bem diferente de nossos dias de saúde pública inexistente e saúde privada cara e capitalista. Bem diferente de quando não se agia por dinheiro. Bem diferente de quando o dinheiro era meio e não fim...

Outro ponto em que se costuma atacar a Igreja é sobre a riqueza de seus templos. Como se Deus não merecesse o melhor. Ora, se Deus no Antigo Testamento quis que o Templo de Jerusalém fosse ricamente ornado e que, para conter o sangue de bois e de bodes fossem confeccionados vasos de ouro, muito maior deve ser a riqueza e o ornato dos templos católicos onde é sacrificado o Cordeiro Deus, o próprio Cristo, Filho de Deus feito homem. Muito mais ricos devem ser o cálice e o cibório que contém o Corpo e o Sangue de Cristo.

Por essa razão que Cristo, ao celebrar a primeira Missa na Quinta-Feira Santa, indicou a São Pedro e São João que preparassem “uma grande sala toda ornada; preparai aí o que for preciso” (Lc 22, 12). Não indicou um local pobre e despojado.

Foi Judas quem se queixou de que um caro perfume havia sido usado para honrar a Cristo alegando que tal perfume poderia ser vendido para com o dinheiro se ajudar os pobres:

“Então Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar, disse: por que se não vendeu este bálsamo por trezentos dinheiros, e se não deu aos pobres?” (Jo 12, 4-6).

Condenar a riqueza dos templos com o pretexto de se ajudar os pobres é um erro que já Cristo condenara:

“Por que vós tendes sempre convosco os pobres e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bens; porém a mim não me tendes sempre” (Mc 14, 7)

A riqueza da Igreja é portanto coisa excelente. Ela lhe permite socorrer aos necessidades, promover a fé e tornar o culto e os templos mais dignos.

In Corde Jesu, semper,
Andre Melo

(do portal MONTFORT Associação Cultural, seção de cartas dos leitores)



LOUVADO seja Nosso Senhor Jesus Cristo!