quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O RE-Pa está chegando

Allan Palheta, diretamente do Facebook
Cuidado.. KKKKKKKK'

Via: Allan Palheta

CUBANOS derrotam o Mal de Parkinson


En Cuba derrotaron al Mal de Parkinson


INVESTIGADORES cubanos desarrollaron una técnica de implantes de células nerviosas vivas en lo profundo del cerebro que cura la enfermedad de Parkinson. El Dr. Julián Alvarez Blanco, director del Centro Internacional de Restauración Neurológica (CIREN), explicó que este logro de la medicina cubana se debe al desarrollo de un procedimiento quirúrgico de avanzada llamado cirugía estereotáxica, o cirugía de mínimo acceso,...junto con novísimas técnicas de mapeo computarizado del cerebro y registros superficiales y profundos de la actividad eléctrica cerebral.“Esto nos permite hoy colocar con precisión las células generadoras e implantarlas exactamente en las áreas afectadas -a través de una cánula de pequeñísimo diámetro- y con un mínimo riesgo para la vida del paciente”, precisó el Dr. Alvarez. “Es decir, se ha logrado establecer trayectorias muy certeras para llegar a estructuras profundas del cerebro. Nos enorgullecemos ciertamente de ser uno de los centros más avanzados del mundo en esta actividad de las neurociencias”, dijo el especialista cubano. El CIREN también da esperanzas a quienes han sufrido daño y muerte de células cerebrales que les ha producido afasias (dificultades de expresión y comprensión) a causa de accidentes encefálicos, trombosis, traumas cráneo-encefálicos y hemiplejías.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

RE-FLA terá segurança reforçada

Remo x Flamengo também terá segurança reforçada

PSC 1x1 Remo

O JOGO entre Clube do Remo e Flamengo (RJ), valendo pela primeira rodada da Copa do Brasil, dia 03abr., no estádio Edgar Proença, o Mangueirão também seguirá o mesmo modelo adotado no Re-Pa do último domingo (24fev.).

MANIA de grandeza

Diretamente do Facebook
Essa mãe sabe das coisas!
W.B.
Essa mãe sabe das coisas!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

TEVÊ a cabo em 1910?

CURTE AE  -> ( @[259738647412020:274:Face com Risos] ) 
CURTE AE  -> ( @[346315455433405:274:Risos Oficial] )
ADD OU ASSINA  -> ( @[100001756363365:2048:Rafael Prado] )
Só na TV Globo!

ONTEM, no Olímpico Mangueirão


Foto
E não ganharam do Remo de novo!

sábado, 23 de fevereiro de 2013

ENQUANTO orava, seu rosto mudou de aparência e sua roupa ficou branca e brilhante

JESUS levou consigo Pedro, João e Tiago, e subiu à montanha para orar. Enquanto orava, seu rosto mudou de aparência e sua roupa ficou branca e brilhante. Dois homens conversavam com ele: eram Moisés e Elias. Apareceram revestidos de glória e conversavam sobre a saída deste mundo que Jesus iria consumar em Jerusalém. Pedro e os companheiros estavam com muito sono. Quando acordaram, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele. E enquanto esses homens iam se afastando, Pedro disse a Jesus: "Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias". Nem sabia o que estava dizendo. Estava ainda falando, quando desceu uma nuvem que os cobriu com sua sombra. Ao entrarem na nuvem, os discípulos ficaram cheios de temor. E da nuvem saiu uma voz que dizia: "Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o!" Enquanto a voz ressoava, Jesus ficou sozinho. Os discípulos ficaram calados e, naqueles dias, a ninguém contaram nada do que tinham visto. (Lc 9, 28b-36)

Salve Maria!

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
(Bodas de Caná, Dois Vizinhos - PR, Brasil)

NA ÚLTIMA vez em que venceu o 1º Turno, Leão foi campeão paraense

Time do técnico Flávio Araújo está invicto e venceu o rival no 1º Turno








ÚNICO clube invicto no Campeonato Paraense, o Remo tem outra motivação para ganhar o título da Taça Cidade de Belém, equivalente ao 1º Turno. A última vez em que o Leão faturou essa fase, sagrou-se campeão estadual. O feito aconteceu no longínquo ano de 2004.

Naquela oportunidade não havia mata-mata. A disputa era em dois turnos, mas por pontos corridos. O Remo foi o melhor no primeiro e no segundo turno. O clube foi além ao triunfar em todos os 14 jogos. O Leão anotou 37 gols e sofreu apenas nove. 

A disputa pelo título de 2013 começará, neste domingo, às 16 horas, no Estádio Mangueirão, com mando do Paysandu. Os rivais, aliás, não ficam frente a frente em uma decisão desde 2010, quando o Papão se sagrou campeão ao vencer, por 4 a 2, e depois segurar o empate, por 3 a 3.

No primeiro turno, o time do técnico Flávio Araújo bateu o rival, por 2 a 1. A campanha na primeira fase do Remo foi de seis vitórias e um empate. O Leão ainda anotou 15 gols e sofreu oito. Na semifinal, após empate,por 2 a 2, com o Paragominas, o Remo venceu, em casa, por 2 a 0, e se classificou à final.
Público!

Remo e Paysandu realizaram cinco jogos como mandante ao longo do 1º Turno e das semifinais. O Remo leva vantagem por ter atuado o clássico como mandante. Para se ter uma ideia, esse duelo é o de maior público do Estadual e o segundo melhor do futebol brasileiro em 2013, com 39.076 pagantes.

Ao longo das cinco partidas em casa, o Remo levou 75.291 pagantes, com média de 15.058. Em só dois jogos, o Leão não ultrapassou a marca de 10 mil pagantes.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

IBOPE divulga pesquisa sobre as maiores torcidas do Brasil

RemoXMixtoMT-Mario Quadros (32)
Fenômeno Azul é o 19º do Brasil, segundo o IBOPE
Ranking das maiores torcidas brasileiras, segundo a pesquisa Ibope:

1º Flamengo (33,2 milhões, 17,2%)
2º Corinthians (25,8 milhões, 13,4%)
3º São Paulo (16,8 milhões, 8,7%)
4º Palmeiras (11,6 milhões, 6,0%)
5º Vasco da Gama (7,9 milhões, 4,1%)
6º Grêmio (7,7 milhões, 4,0%)
7º Cruzeiro (6,8 milhões, 3,5%)
8º Santos (5,2 milhões, 2,7%)
9º Atlético-MG (5 milhões, 2,6%)
10º Internacional (4,8 milhões, 2,5%)
11º Sport (3,3 milhões, 1,7%)
12º Botafogo (3,1 milhões, 1,6%)
13º Bahia (3,1 milhões, 1,6%)
14º Fluminense (3,1 milhões, 1,6%)
15º Vitória (2,3 milhões, 1,2%)
16º Ceará (1,5 milhões, 0,8%)
17º Santa Cruz (1,2 milhões, 0,6%)
17º Fortaleza (1,2 milhões, 0,6%)
17º Atlético-PR (1,2 milhões, 0,6%)
18° Coritiba PR [900 mil torcedores, 0,4%]

19° Remo [890 mil torcedores, 0.4%]
20° Figueirense [700 mil torcedores, 0,2%]

20º Paysandu [700 mil torcedores, 0.2%]
21° Goiás [650 mil torcedores, 0.2%]
21° Joinville [650 mil torcedores, 0.2%]
22° ABC [600 mil torcedores, 0.1%]
23° CSA [590 mil torcedores, 0.1%]
24° CRB [540 mil torcedores, 0.1%]
25° Treze [500 mil torcedores, 0,05%]
26° Guarani [450 mil torcedores, 0,05%]
26° Vila Nova-GO [450 mil torcedores, 0,05%]
27° Náutico [400 mil torcedores, 0,04 %]
28° América-RN [390 mil torcedores, 0,04%]
28° Sampaio Corrêa  [390 mil torcedores, 0,04%]
28° Avaí [390 mil torcedores, 0,04%]
29° Campinense-PB [300 mil torcedores, 0,02%]
29° Botafogo-PB [300 mil torcedores, 0,02%]
29° Ponte Preta [300 mil torcedores, 0,02%]
30° Paraná [250 mil torcedores, 0,01%]
30° São Raimundo-AM [250 mil torcedores, 0,01%]
31° Caxias-RS [200 mil torcedores, 0,01%]
32° Confiança-SE [170 mil torcedores, 0,01%]


PSC E XIII da PB-Mario Quadros (23)
Torcida do Paissandu está em 20º, de acordo com o IBOPE
Apesar de ter sido muito noticiada nos últimos dias nas redes sociais, a pesquisa Ibope foi realizada no primeiro trimestre de 2010. Foram ouvidas 7.109 pessoas em todo o país e a margem de erro é de 1,2 ponto percentual para cima ou para baixo. (Gerson Nogueira, Belém - PA, Brasil)

A OPINIÃO de Antonio Valentim

Direto do blog

TRIO da Fifa no Re-Pa é uma atitude acertada. Quem garante, por exemplo, que o árbitro de Paissandu 6 x S. Francisco 1 invalidaria o gol legítimo do Paissandu – não lembro agora se o placar já estava 3 ou 4 a 0 –, se a equipe bicolor estivesse em desvantagem no marcador? Quem garante, por exemplo, que o árbitro dessa mesma peleja marcaria o penal a favor do S. Francisco se essa equipe estivesse ganhando de 2 a 0? Quem garante, por exemplo, se o penal a favor do Paissandu naquele jogo de Santarém seria marcado se, nas mesmas condições, fosse a favor do S. Francisco e se este estivesse empatando ou mesmo ganhando por 1 a 0? Quem garante se aquele mesmo árbitro do jogo PSC e Tuna marcaria um penal – que ele mesmo não viu – se fosse a favor da Tuna? Nesse caso, o bandeirinha dificilmente insistiria, chamando a atenção do árbitro central. A condição técnica não é o xis da questão aqui”.
De Antonio Valentim, torcedor remista, avalizando a opção por arbitragem de fora na decisão.
(Gerson Nogueira, Belém - PA, Brasil)

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

ILUSÃO de ótica

Cara de um focinho do outro...
Cara de um focinho do outro...
Do Facebook

CLUBE do Remo às vésperas de um centenário de futebol

Remo, um clube insensível à própria história

       
FALTAM 64 dias para o Remo completar 100 anos de futebol. Em 21 de abril de 1913 o Leão Azul fez seu primeiro jogo, um amistoso em que empatou com o Guarani em 0 x 0, no campo da praça Floriano Peixoto. Ontem, em Paragominas, o clube azulino fez o seu jogo 4.092. Mas a rica história é tratada com desprezo pelo próprio clube, que não tem museu, não tem ações regulares de reverência aos ídolos, não tem marketing atuante para explorar o potencial de consumo da imensa torcida. Tanto não tem uma política de marketing que mantem-se absurdamente insensível ao centenário que se avizinha. Menos mal que, isoladamente, o benemérito Orlando Ruffeil trabalha no levantamento de dados e fatos da história remista, prometendo um livro para a data do centenário.
        
O clube precisa honrar à própria grandeza, celebrando dignamente a data de 21 de abril, resgatando o que fez de melhor na trajetória, enaltecendo os ídolos, mostrando às novas gerações o que do Remo um clube tão grandioso. Essa obrigação é também uma oportunidade ímpar para os mandatários remistas (dirigentes, conselheiros, beneméritos e grandes beneméritos) atenuarem a dívida moral que têm com o clube, pelos muitos casos de omissão, de equívocos e até de irresponsabilidades.  (Carlos Ferreira)

O TALENTO de J. Bosco: Asteróide


(J. Bosco, Belém - PA, Brasil)

domingo, 17 de fevereiro de 2013

BOTAFOGO espalha bandeiras pela orla e faz a festa dos donos de barracas

Clube cede carteiras de sócio-torcedor como cortesia para 109 parceiros informais do Leme e de Copacabana assistirem aos jogos do time

COM o objetivo de ter suas cores tremulando pela orla carioca, o Botafogo adotou uma estratégia incomum para ter suas bandeiras erguidas nas barracas espalhadas do Leme ao Leblon. Neste sábado, o diretor de marketing Marcelo Guimarães, ao lado de belas mulheres, entregou aos donos das barracas garrafas de espumante personalizadas e carteiras de sócio-torcedor válidas até o fim do Campeonato Carioca, além de bandeiras já com mastro para serem fincadas na areia.
ENTREGA BANDEIRAS BOTAFOGO NA PRAIA (Foto: Vicente Seda)
Meninas exibem bandeiras do Botafogo cedidas pelo clube (Foto: Vicente Seda)

De acordo com Guimarães, a iniciativa tem como meta principal expor o Botafogo em um dos principais espaços da cidade. As carteiras de sócio-torcedor foram tiradas da cota de cortesia do programa. Os donos das barracas também funcionarão como parceiros informais do clube, indicando visitas para turistas e distribuindo panfletos do programa sócio-torcedor para os seus clientes. Ele afirmou que 109 barracas toparam colocar a bandeira do Botafogo em seu espaço apenas entre Leme e Copacabana, sendo que 50 kits já foram entregues. Na próxima semana, o clube cadastrará as barracas do Arpoador ao Leblon.

- Todo trabalho tem como objetivo final o fortalecimento da marca. Usamos muito redes sociais, mas achamos importante a presença na praia porque no Rio ela tem um valor simbólico inestimável. Então povoar a praia com a marca do Botafogo é uma ação para somar a tudo o que a gente faz para colocar a marca em evidência. Foi uma surpresa muito positiva, 109 toparam - disse Guimarães.

Sobre a parceria informal na divulgação do clube, ele afirmou que não é o foco principal, mas que é uma estratégia.
- Importante mesmo é a presença da bandeira. A gente dá a possibilidade de ele interagir com o clube, indicar visitas, mas não é um projeto comercial - esclareceu.
José Jorge, ou o "Zeca da barraca", como se apresentou, afirmou que já vai comemorar a parceria neste domingo, no clássico entre Botafogo e Flamengo no Engenhão, às 18h30m.
- O meu pai trabalhou aqui 44 anos, eu estou há seis, ele faleceu. Vou prestigiar o meu time de coração. Amanhã já vou curtir. Iria de qualquer forma, mas agora já tenho os ingressos - festejou.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

BRASILEIROS ficam entusiasmados com vacina cubana contra câncer de pulmão

Produto é capaz de inibir o crescimento do tumor


CUBA registrou a primeira vacina terapêutica contra o câncer de pulmão nesta semana, após testar sua eficácia em mais de 1.000 pacientes. Não foram registrados efeitos colaterais.
A vacina nomeada CimaVax EGF foi criada após mais de 15 anos de pesquisas. A chefe do projeto, Gisela González, do Centro de Imunologia Molecular de Havana, explicou que a vacina oferece a possibilidade de transformar o câncer avançado em uma "doença crônica controlável".

O registro permite usar a vacina maciçamente no país e "atualmente ele avança para outras nações", disse a especialista.

- A vacina é baseada em uma proteína que todos temos e que está relacionada com os processos de proliferação celular. Quando há câncer, [essa proteína] está descontrolada.

Gisela explica que foi preciso elaborar uma vacina que produzisse anticorpos contra essa proteína, que já é própria do organismo. 
A vacina é aplicada no momento em que o paciente conclui a terapia com radioterapia e quimioterapia. Ela ajuda a controlar o crescimento do tumor sem causar toxicidade, explica a pesquisadora. (R7)

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

DIRETAMENTE do Facebook: Papa renuncia


Papa anuncia renúncia e sai no dia 28
Bento XVI, de 85 anos, alega 'idade avançada' e diz estar 'consciente' da gravidade de seu gesto. Vaticano nega que doença tenha sido motivo.
Papa anuncia renúncia e sai no dia 28
Bento XVI, de 85 anos, alega 'idade avançada' e diz estar 'consciente' da gravidade de seu gesto. Vaticano nega que doença tenha sido motivo.
(J. Bosco, no Facebook)

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

REMO e Flamengo: Torcedores dividem o coração entre duas paixões

Em Belém, dupla paixão?
DEZESSEIS de dezembro de 2012. Nesse dia, no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão, o Sport Club Corinthians faturava o bicampeonato mundial de clubes. Na terra do Corinthians, em São Paulo, a cidade  foi tomada pela torcida que é conhecida por ser “um bando de loucos”.

Eis que aqui em Belém, distante um pouco mais de três mil quilômetros da capital paulista, uma versão menor, mas barulhenta, do bando de loucos. A Av. Doca de Souza Franco virou uma filial da Av. Paulista, com festa até altas horas da noite em comemoração ao título. O fato dividiu opiniões a respeito de um velho assunto: até que ponto é certo ou errado torcer desse jeito por um time de fora do seu estado?

Essa semana, a discussão voltou à tona com força total, após a confirmação de que o Clube do Remo enfrentará o Flamengo no primeiro jogo da Copa do Brasil, no dia 3 de abril.

Os que são veementemente contra afirmam, entre outras coisas, que torcer por um time de fora é como negar suas raízes; já os que não veem problema nisso argumentam algo bem simples: livre arbítrio, cada um tem liberdade em suas escolhas. Em meio a isso, outro questionamento aparece: será que o Mangueirão, em abril, não será tomado mais por torcedores chamados “mistos”, codinome dado para pessoas que torcem para mais de um time, além do da sua cidade? Os azulinos, de coração perderão essa batalha?

Bem... O fato é que o site oficial do urubu parece acreditar que será um encontro com os “rubro-negros do norte”, quando publicou a notícia do jogo contra o Remo. Mas, para Jeft Diaz, 25 anos, apaixonado pelas cores do Leão Azul, não. Jeft, que é totalmente contra a paixão por clubes de fora do Pará, crê que a torcida azulina será maior em abril. “A torcida do Remo vai ser maioria, já que o time está numa fase muito boa. Vão ter muito ‘flamenguistas’, mas a maioria tem o Remo como o primeiro time, então isso é mais um fator para que a torcida do Remo seja maior”, prevê. “Ter simpatia é supernormal. Agora torcer, financiar, dar ibope para os times de fora e esquecer que existe futebol no seu estado é bobagem. Enquanto os mistos forem maioria, o nosso futebol vai continuar sendo capenga. O torcedor é tão importante quanto uma boa administração”, opina.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

BLOGUE do Valentim há 1 ano: Sou daquele tempo!

Tambem sou desse tempo!




do blog  Rio acima


O aparelho de som três em um, novidade fantástica no fim dos anos 70. Lá atrás, jogado, um velho disco long play

SOU do tempo do telefone com fio. Fixo mesmo. Pra falar em outro cômodo da casa, era preciso instalar uma extensão.

Sou do tempo do aparelho de som três em um, como esse da foto, que vi exposto numa feira de velharias.

Ouvi muita narração do Waldir Amaral e do Jorge Cury em rádio transistor.

Ouvi música do Dire Straits nos toca-fitas dos carros. Uma vez ganhei um gravador mini-cassete da Aiwa.

E carro com ar condicionado era só Landau e Dodge Dart.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

BLOGUE do Valentim há 2 anos: Fim do dirigente torcedor

FIM do dirigente torcedor

COMO o amigo e seus leitores sabem, por meio dos meus comentários neste espaço democrático, sou adepto da profissionalização – fora das quatro linhas – do futebol paraense. Alguns se perguntarão: “Como profissionalização, o futebol há muito já é profissional?”. Sob certos aspectos sim, é verdade. O atleta de futebol é um trabalhador contratado e remunerado, e o quesito ‘profissionalização’, a nosso ver,  não vai muito além disso e de algumas outras ações burocráticas. Ou seja, somente o lado de lá; do lado de cá, está bem distante.

Acompanho futebol desde os anos 70, e vejo que as ações, a mentalidade reinante, salvo exceções, não evoluiram muito. Naquela época, em que alguns jogadores ficavam no clube por vários anos, a bilheteria ainda sustentava um clube de futebol. As coisas mudaram, o próprio comportamento do torcedor mudou. Naquele tempo não havia estatuto do torcedor, código de defesa do consumidor ou coisas do gênero, e o pobre torcedor se sujeitava a ir a campo, pegar chuva e ainda urina na cabeça. Algumas pessoas, todavia, ainda estão nessa época, pensando igual.

Os resultados em campo, na época, davam a Remo e Paysandu condições de igualdade, para dizer o mínimo, com clubes do Ceará, Pernambuco,Bahia, Goiás, Paraná e Santa Catarina. Nossos times eram respeitados. Com o tempo, a gestão do futebol se tornou bastante profissional, e somente nossos dirigentes não viram, não se profissionalizando junto.

IMAGEM do dia


(Teodora Petrescu, Romênia)



terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

MEUS clássicos prediletos: Dindinha (Zeca Baleiro)

(Repostagem do dia 30jun.2011)

COMO envenenar as crianças

Por Frei Betto, no sítio da Adital:

Muito além do peso’, documentário de Estela Renner e produção de Marcos Nisti, é obrigatório ser visto em escolas e famílias. Jamais tive conhecimento de um filme tão pedagógico quanto à alimentação infantil.
Nossas crianças estão sendo silenciosamente envenenadas por ingerirem bebidas e comidas nocivas. Todas amplamente anunciadas na TV e na internet, de modo a criar hábitos perenes de consumo.

Embora a legislação de muitos países já proíba publicidade de alimentos prejudiciais à saúde das crianças, como são os casos do Chile, da França e do Reino Unido, o governo brasileiro teima em ficar submisso à pressão das empresas produtoras. Reluta em assegurar qualidade de vida à nossa população. Enquanto a Vigilância Sanitária libera, o Ministério da Saúde arca com os bilhões de reais gastos em doenças evitáveis.
Pesquisas indicam que os produtos expostos à publicidade chegam a ter suas vendas aumentadas em 134%.

No Brasil, 30% das crianças apresentam sobrepeso e 15% delas já são obesas. Cresce de modo alarmante a incidência de obesidade infantil, colesterol alto, distúrbios glandulares, diabetes tipo 2, cânceres, sem que se consiga dar um basta à indústria do envenenamento saboroso.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

BETO Richa passa trote nos paranaenses

Beto Richa (PSDB).
Beto Richa, governador do PR
LEITORES deste blog reclamam que estão sendo vítimas de trote passado pelo governador Beto Richa (PSDB). 

Em campanha pela reeleição, o tucano está ligando para as casas dos paranaenses dizendo que baixou a conta de luz em 18%.
“O governo do Paraná tem uma boa noticia para você: a sua conta de luz vai ficar 18% mais barata.”
O diabo é que até a famosa calçada de granito do luxuoso bairro do Batel sabe que Richa e os governadores tucanos de São Paulo e Minas Gerais foram contra a redução da tarifa de energia.
Dona Dilma Rousseff fez a conta de luz baratear, mas é Beto Richa quem leva a boa notícia…
O mesmo expediente o tucano usa na inauguração de unidades habitacionais do programa “Minha Casa, Minha Vida”, que no estado se chama “Morar Bem Paraná”. Ou seja, Dilma paga a conta mas é Richa quem fatura politicamente.
É mole ou quer mais? (Com Texto Livre)

RECADO do dia


(do Blog do Miro)

domingo, 3 de fevereiro de 2013

O REAJUSTE da gasolina e os bocós

Por Cadu Amaral, em seu blog:

O GOVERNO federal anunciou o reajuste do preço da gasolina em 6,6% nas refinarias e 4,4% nas bombas dos postos. Logo começou uma guerra de informação e contra informação nas redes sociais motivada pela boataria da “grande imprensa” para tentar desqualificar a redução da tarifa de energia elétrica.

Sob o argumento direto ou indireto de que a redução foi para compensar o aumento do preço do combustível, a “grande mídia” mais uma vez conseguiu inflar setores da classe média, sempre ela, contra o governo por aumentar o preço da gasolina e tornar 4% mais caro andar de carro.

Obviamente que o reajuste do preço do combustível não é sentido apenas por quem possui automóvel. Como produtos precisam ser transportados e máquinas em fábricas precisam de gasolina e derivados para funcionar nas fábricas, a variação do preço deve ser repassada em vários produtos.

Mas nem de longe todo o alarde provocado merece ser levado a sério.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

HÁ 20 anos!

Remo comemora 20 anos do início do Tabu dos 33 jogos

Belterra
O grande zagueiro Belterra

O REMO completa 108 anos no próximo dia 05fev. e um dos maiores feitos do clube nesse período centenário foi o tabu de 33 partidas sem perder para o maior rival, Paysandu. Nesta quinta-feira completam 20 anos do início da hegemonia diante dos bicolores e relembraremos um pouco dos fatos mais marcantes que envolvem esse capítulo do clássico Re-Pa.
O tabu iniciou no dia 31jan.1993. Remo e Paysandu empataram em 0 a 0 pelo Torneio Pará-Ceará. O time azulino jogou com Flávio; Marcelo, Belterra, Gilberto Cametá e Vanderley; Agnaldo, Dema e Serrano (Alex); Edson, Leco e Luciano Viana (Celso Reis). O técnico era Wanderley Carvalho. Segundo o historiador Orlando Ruffeil, que garante ter assistido todas as 33 partidas, esse é o maior tabu envolvendo clássicos na história do futebol mundial.
“A supremacia do Remo naquela época era grande. A única preocupação dos torcedores remistas era saber de quanto seria a vitória. Nesse período, o Remo conquistou o pentacampeonato paraense. Para se ter uma ideia da importância desse tabu, é só olhar um pouco para o retrospecto entre os clubes. Já aconteceram 706 clássicos Re-Pa, com 249 vitórias do Remo e 210 do Paysandu. A vantagem azulina é de 39 vitórias. Só no tabu foram 22. O tabu foi importante, pois aumentou a diferença de vitórias a favor do Remo”, explica.
A hegemonia do Remo durou exatos 4 anos, 6 meses e 24 dias, só sendo quebrada em 1997. No Mangueirão, Remo e Paysandu se enfrentaram e os bicolores venceram por 2 a 0. Quem lembra com detalhes todos os jogos do tabu é o ex-zagueiro Belterra, que ficou de fora de apenas uma partida contra o maior rival e jogou no Remo por sete anos. Atualmente morando em Santarém, o ex-jogador conta qual foi a sua partida inesquecível no maior feito da história do Filho da Glória e do Triunfo.
“Não sai da minha cabeça o jogo que o Paysandu vencia por 2 a 1 e todo mundo pensava que seria o fim do tabu. O Fernando Oliveira tinha entregue o cargo de treinador e o Agnaldo e eu viramos técnicos e jogadores ao mesmo tempo. Tiramos um lateral e um volante e colocamos mais dois atacantes. Ficamos com cinco jogadores dentro da área do Paysandu. Viramos a partida em 11 minutos. Foi inesquecível. É uma satisfação fazer parte desse fato que marcou a história do Remo.
É comum os torcedores do Remo contarem até 33 nos dias de clássico Re-Pa. É uma forma de mostrar que o tabu ainda está presente na memória dos remistas. Para o auxiliar de vendas Marcelo Veiga, de 45 anos, que assistiu algumas partidas do feito, o Paysandu pode ter mais títulos, mas nunca vai chegar perto do tabu de 33 partidas sem perder para o Remo.
“Eles falam de Série B e uma Copa dos Campeões que nem existe mais. Ainda ficam fazendo gozação com um 7 a 0 que aconteceu na era amadora, mas o tabu de 33 jogos foi conquistado pelo Remo na era profissional, nos anos 90. É a maior glória do Remo e o Paysandu vai ter que conviver com isso. O maior rival pode ganhar tudo, mas esse tabu vai ficar preso na garganta para sempre, pois é insuperável”, disse.
Globo Esporte.com, 31/01/2013 (Remo100%)

ABAIXO os imbecis!

Mino Carta.
Mino Carta
EXCELENTE editorial da revista CartaCapital, desta semana, assinado pelo jornalista Mino Carta, no qual analisa as causas da imbecilização da sociedade brasileira. Vale a pena conferir: 

A imbecilização do Brasil

 

Há muito tempo o Brasil não produz escritores como Guimarães Rosa ou Gilberto Freyre. Há muito tempo o Brasil não produz pintores como Candido Portinari. Há muito tempo o Brasil não produz historiadores como Raymundo Faoro. Há muito tempo o Brasil não produz polivalentes cultores da ironia como Nelson Rodrigues. Há muito tempo o Brasil não produz jornalistas como Claudio Abramo, e mesmo repórteres como Rubem Braga e Joel Silveira. Há muito tempo…

Os derradeiros, notáveis intérpretes da cultura brasileira já passaram dos 60 anos, quando não dos 70, como Alfredo Bosi ou Ariano Suassuna ou Paulo Mendes da Rocha. Sobra no mais um deserto de oásis raros e até inesperados. Como o filme O Som ao Redor, de Kleber Mendonça, que acaba de ser lançado, para os nossos encantos e surpresa.

Nos últimos dez anos o País experimentou inegáveis progressos econômicos e sociais, e a história ensina que estes, quando ocorrem, costumam coincidir com avanços culturais. Vale sublinhar, está claro, que o novo consumidor não adquire automaticamente a consciência da cidadania. Houve, de resto, e por exemplo, progressos em termos de educação, de ensino público? Muito pelo contrário.

Nossa vanguarda. Imbatíveis à testa da Operação Deserto


E houve, decerto, algo pior, o esforço concentrado dos senhores da casa-grande no sentido de manter a maioria no limbo, caso não fosse possível segurá-la debaixo do tacão. Neste nosso limbo terrestre a ignorância é comum a todos, mas, obviamente, o poder pertence a poucos, certos de que lhes cabe por direito divino. Indispensável à tarefa, a contribuição do mais afiado instrumento à disposição, a mídia nativa. Não é que não tenha servido ao poder desde sempre. No entanto, nas últimas décadas cumpriu seu papel destrutivo com truculência nunca dantes navegada.

Falemos, contudo, de amenidades do vídeo. De saída, para encaminhar a conversa. Falemos do Big Brother Brasil, das lutas do MMA e do UFC, dos programas de auditório, de toda uma produção destinada a educar o povo brasileiro, sem falar das telenovelas, de hábito empenhadas em mostrar uma sociedade inexistente, integrada por seres sem sombra. Deste ponto de vista, a Globo tem sido de uma eficácia insuperável.

O espetáculo de vulgaridade e ignorância oferecido no vídeo não tem similares mundo afora, enquanto eu me colho a recordar os programas de rádio que ouvia, adolescente, graciosas, adoráveis peças de museu como a PRK30, ou anos verdolengos habitados pelos magistrais shows de Chico Anysio. Cito exemplos, mas há outros. Creio que a Globo ocupe a vanguarda desta operação de imbecilização coletiva, de espectro infindo, na sua capacidade de incluir a todos, do primeiro ao último andar da escada social.

O trabalho da imprensa é mais sutil, pontiagudo como o buril do ourives. Visa à minoria, além dos donos do poder-real, que, além do mais, ditam o pensamento único, fixam-lhe os limites e determinam suas formas de expressão. O alvo é a chamada classe média alta, os aspirantes, a segunda turma da classe A, o creme que não chegou ao creme do creme. E classe B também. Leitores, em primeiro lugar, dos editoriais e colunas destacadas dos jornalões, e da Veja, a inefável semanal da Editora Abril. Alguns remediados entram na dança, precipitados na exibição, de verdade inadequada para eles.

Aqui está a bucha do canhão midiático. Em geral, fiéis da casa-grande encarada como meta de chegada radiosa, mesmo quando ancorada, em termos paulistanos, às margens do Rio Pinheiros, o formidável esgoto ao ar livre. E, em geral, inabilitados ao exercício do espírito crítico. Quem ainda o pratica, passa de espanto a espanto, e o maior, se admissível a classificação, é que os próprios editorialistas, colunistas, articulistas etc. etc. acabem por acreditar nos enredos ficcionais tecidos por eles próprios, quando não nas mentiras assacadas com heroica impavidez.

O deserto cultural em que vivemos tem largas e evidentes explicações, entre elas, a lassidão de quem teria condições de resistir. Agrada-me, de todo modo, o relativo otimismo de Alfredo Bosi, que enriquece esta edição. Mesmo em épocas medíocres pode medrar o gênio, diz ele, ainda que isto me lembre a Península Ibérica, terra de grandes personagens solitárias em lugar de escolas do saber. Um músico e poeta italiano do século passado, Fabrizio de André, cantou: “Nada nasce dos diamantes, do estrume nascem as flores”. E do deserto? (Blog do Esmael, Curitiba - PR, Brasil)

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A FALA emocionante de Hildegard Angel

Por Hildegard Angel, em seu blog:


VENHO, como cidadã, como jornalista, que há mais de 40 anos milita na imprensa de meu país, e como vítima direta do Estado Brasileiro em seu último período de exceção, quando me roubou três familiares, manifestar publicamente minha indignação e sobretudo minha decepção, meu constrangimento, meu desconforto, minha tristeza, perante o lamentável espetáculo que nosso Supremo Tribunal Federal ofereceu ao país e ao mundo, durante o julgamento da Ação Penal 470, apelidada de Mensalão, que eu pessoalmente chamo de Mentirão.

Mentirão porque é mentirosa desde sua origem, já que ficou provada ser fantasiosa a acusação do delator Roberto Jefferson de que havia um pagamento mensal de 30 dinheiros, isto é, 30 mil reais, aos parlamentares, para votarem os projetos do governo.