sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

TRANSPOSIÇÃO das águas do Rio São Francisco



Maior obra hídrica do Brasil cria 8 mil empregos e tem conclusão prevista para 2015

Porta aberta no Eixo Leste para que as águas do Velho Chico entrem. Foto: Ministério da Integração
LAMENTAVELMENTE, o Fantástico e o Estadão não conseguiram secar o rio nem detonar as obras da Transposição. A Presidenta Dilma Rousseff deveria convidar o Gilberto Freire com “i” (*) para a inauguração e, num descuido, lançá-lo às aguas do generoso rio.
O Projeto de Transposição do Rio São Francisco, concebido ainda em 1985 pelo extinto DNOS – Departamento Nacional de Obras e Saneamento, após uma das mais longas estiagens registradas, chega ao início de 2014 com 52,2% das obras concluídas.

O empreendimento, que na década de 1990 foi transferido para o Ministério da Integração Nacional, conta com um investimento em torno de R$ 8 bilhões e, hoje, faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal.
Com a conclusão prevista para 2015, a transposição levará água do Velho Chico, como é popularmente conhecido o rio, a 390 cidades do semiárido nordestino nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte ou, se preferir, a 12 milhões de pessoas que, no ano passado, sofreram com a pior seca dos últimos 50 anos.
Para o Ministério responsável por conduzir a obra, os benefícios vão além da disponibilização de água, pois mais de 8 mil empregos diretos e indiretos foram criados nos canteiros de obras. Segundo o Ministro Francisco Teixeira, em visita às obras em janeiro, “8.700 trabalhadores e cerca de 2.500 máquinas em campo”.
Dados oficiais mostram que Nordeste possui 28% da população brasileira e apenas 3% da disponibilidade de água, o que provoca irregularidade na distribuição de recursos hídricos.
“O Projeto vai reforçar o suprimento hídrico dos estados, com a garantia de água nos sistemas já existentes. Com isto, a água do São Francisco será utilizada para o abastecimento humano e o que sobrar dos mananciais existentes poderá ser utilizado para atividades econômicas. Acabando, assim, com o atual conflito do uso da água”, diz Teixeira.
O Programa de Integração do Rio São Francisco apresenta dois eixos: o Norte, com 260 quilômetros de extensão, levará água para os sertões de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Já o Leste, com 217 quilômetros, beneficiará parte do sertão e as regiões agreste de Pernambuco e da Paraíba. Atualmente todos os trechos estão em atividade e alguns funcionam 24 horas por dia.








As complexidades da maior obra de infraestrutura hídrica do Brasil e uma das 50 maiores do mundo são diversas. Vão desde ações do Tribunal de Contas da União até as dificuldades em construir, ao todo, nove estações de bombeamento, 13 aquedutos e quatro túneis, além da recuperação de 21 açudes e a construção de outros 27 reservatórios, que funcionarão como pulmões de água para os sistemas de abastecimento do Agreste.

Tanto que, a partir de 2011, o acompanhamento da obras passou a ser realizado por seis etapas úteis – as Metas de Conclusão, que consistem em um novo modelo de licitação, contratação e acompanhamento dos de obras (Metas 1N, 2N, 3N, 1L, 2L e 3L):


Eixo Leste (Trecho V)


META 1L - Meta Piloto (16 km): Compreende a captação no reservatório de Itaparica até o reservatório Areias, ambos em Floresta (PE). É uma meta piloto para testes do sistema de operação. A Meta 1L apresenta 86,3% de conclusão.

META 2L (167 km): Inicia na saída do reservatório Areias, em Floresta (PE), e segue até o reservatório Barro Branco, em Custódia (PE). A Meta 2L apresenta 58% de execução.

META 3L (34 km): Este trecho está situado entre o reservatório Barro Branco, em Custódia (PE), e o reservatório Poções, em Monteiro (PB). A Meta 3L apresenta 15,9% de execução.




Eixo Norte (Trecho I e II)


META 1N (140 km): Vai da captação do rio São Francisco, no município de Cabrobó (PE), até o reservatório de Jati, em Jati (CE). A Meta 1N apresenta 57,2% de execução.
META 2N (39 km): Começa no reservatório Jati, no município de Jati (CE), e termina no reservatório Boi II, no município de Brejo Santo (CE). A Meta 2N apresenta 24,6% de execução.
META 3N (81 km): Estende-se do reservatório Boi II, no município de Brejo Santo (CE), até o reservatório Engenheiro Ávidos, no município de Cajazeiras (PB). A Meta 3N apresenta 47,2% de execução.


(Justiceira da Esquerda)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!