quinta-feira, 31 de julho de 2014

SCOLARI, o perdedor mais bem pago do mundo

FORAM mais de quatro milhões de indenizações por 18 meses de trabalho, 29 jogos com 19 vitórias, 6 empates e 4 derrotas.

Essa é a rescisão de contrato de Luiz Felipe Scolari com a Confederação Brasileira de Futebol assinada ontem quando foi anunciado como novo técnico do Grêmio.

Felipão não ficou nem um mês desempregado. Tem forte ligação com o clube gaúcho onde viveu como treinador de time o seu melhor momento.

Foi campeão estadual, copa do Brasil, Libertadores, perdeu o título mundial para o Ajax de Van Gaal, a quem parece não perdoar até hoje, e a Recopa.

No Palmeiras também conquistou muito. Foi campeão da Copa do Brasil, Libertadores e vice mundial contra o Manchester United.

Depois desses títulos conquistou o Mundial de 2002 com o Brasil, na Ásia, e foi vice-campeão europeu com Portugal perdendo duas vezes para a Grécia.

No jogo de abertura e na final. Foi o maior momento do futebol grego em todos os tempos.

Em clubes não voltou a conquistar grandes títulos a não ser a Copa do Brasil com o Palmeiras, mas depois ajudou a derrubar o time pela segunda vez para a segunda divisão.

No Chelsea foi considerado muito fraco por alguns jogadores e no time de Rivaldo no Usbequistão é algo que não devia constar no seu currículo.

A volta à Seleção Brasileira lhe deu a Copa das Confederações no ano passado e a maior vergonha do futebol brasileiro na Copa que acabou há poucos dias no país.

Os 7 x 1 que tomou da Alemanha e os 3 x 0 na disputa pelo terceiro lugar contra a Holanda são as piores coisas que já aconteceram com o futebol brasileiro em todos os tempos.

Felipão nunca admitiu que errou. Tratou a goleada da Alemanha como pane geral, assumiu por um momento a responsabilidade, mas depois saiu dizendo que o seu trabalho à frente da Seleção foi bom.

Bom não foi, mas foi muito caro para os cofres da CBF que é uma empresa particular e não deve satisfação a ninguém, mas usa o coração dos brasileiros para ganhar muito dinheiro e não divide nada com os clubes dos quais convoca os ditos principais jogadores.

Culpa dos clubes que não se manifestam, não se opõe e votaram em Marco Polo del Nero como antes votaram por anos a fio em Ricardo Teixeira e ajudaram a afundar o futebol brasileiro.

Felipão ganhou por jogo aproximadamente 380 mil reais sem colocar na conta os décimos terceiro e quarto salários também pagos pela CBF como forma de bônus pelos bons serviços prestados.

É ou não é o perdedor mais bem pago do mundo? (Quartarollo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!