sábado, 29 de novembro de 2014

ADEUS, Chaves!

Roberto Gómez Bolaños: 1929 - 2014


(do blogue do Gerson Nogueira)


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

BLOG do Gerson atinge a marca de 5 milhões

BLOG campeão atinge 5 milhões de acessos

O BLOG do Gerson Nogueira campeão atingiu na manhã desta quarta-feira a marca de 5 milhões de acessos (sendo que 1 milhão acessaram somente nos últimos sete meses). Uma tremenda façanha para um blog regional, voltado para futebol, música, cultura, política e jornalismo. Faço aqui meu agradamento aos bravos companheiros de viagem, que frequentam o espaço diariamente desde 2009 e que são verdadeiramente os responsáveis pelo seu sucesso. Parabéns a todos os envolvidos. 

Congratulo-me com o campeoníssimo jornalista paraense!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

NESTA data querida!

O homem, o ser humano, é feliz de verdade quando vê seu semelhante feliz


NO CASO de um pai, este se dá por feliz quando vê seus filhos felizes. Então, hoje, já recebi o meu presente de aniversário: ver que meus filhos estão felizes.

Hoje, agradeço primeiramente ao bom Deus por me permitir chegar ao 54º novembro de minha existência. Agradeço por isso e por estar com saúde e, principalmente, reconciliado com Ele, que nunca me desamparou em momento algum de minha vida.

Mas também devo agradecer a todos os amigos, colegas, de aqui - Dois Vizinhos, Paraná -, e de todos os recantos do Brasil - e também de outros países - que, por meio das redes sociais, vem enviando-me suas mensagens de um "Feliz aniversário". Agradeço também a meu sogro e a minha sogra, que, por telefone, expressaram também votos de parabéns. Muito obrigado a todos.

Minha felicidade maior, entretanto, foi, após receber o beijo, acompanhado de um "feliz aniversário" da minha esposa, Bernardete, ao abrir a caixa de e-mail, topar com as fotografias de minha filha Cristiene, seu esposo e meu neto, Raphäel, o multirracial.

No todo, este ano de 2014, vem repleto de bênçãos. Constituí no Facebook um grupo em que congrego boa parcela da minha turma da Escola de Especialistas, o "Branca de Rasgar!". Recebo a notícia de que me tornei avô. Em Dezembro, virá mais uma filha, a também multirracial Alicemaria, o que vai me tornar um "pai-avô", ou seja, um pai com idade de avô e, efetivamente, agora um avô. Uma outra de minhas filhas, a Charlene, vai se formar Segundo-tenente da Aeronáutica, concluindo o curso em primeiro lugar.
Enfim, estou numa felicidade só!

Obrigado, Deus!

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

HOJE é dia da Bandeira


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

PAPA Francisco manda instalar chuveiros para sem-tetos


“PADRE, eu não posso ir com você ao restaurante, porque eu estou fedendo…” Franco é um sem-teto natural da Sardenha, com a barba seca e cinza, e a pele danificada pelo sol. Foi ele que, nos primeiros dias de outubro, explicou ao bispo que o convidava para jantar, para comemorar o seu aniversário, qual é a maior necessidade para os desabrigados de Roma: “Aqui, ninguém morre de fome, sempre se consegue um sanduíche todos os dias. Mas não há lugares para ir ao banheiro e para se lavar”.

Aquele bispo era Konrad Krajewski, o esmoleiro do Papa Francisco.

A mensagem é imediatamente implementada: na segunda-feira, 17 de novembro, começarão os trabalhos para instalar três chuveiros dentro dos banheiros para os peregrinos que se encontram debaixo da colunata de São Pedro.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

OUTRA questão do ENEM 2014

Em bom português


NO BRASIL, as palavras envelhecem e caem como folhas secas. Não é somente pela gíria que a gente é apanhada (aliás, já não se usa mais a primeira pessoa, tanto do singular como do plural: tudo é "a gente". A própria linguagem corrente vai-se renovando e a cada dia uma parte do léxico cai em desuso.

Minha amiga Lila, que vive descobrindo essas coisas, chamou minha atenção para os que falam assim:

- Assisti a uma fita de cinema com um artista que representa muito bem.

Os que acharam natural essa frase, cuidado! Não saberão dizer que viram um filme com um ator que trabalha bem. E irão ao banho de mar em vez de ir à praia, vestido de roupa de banho em vez de biquíni, carregando guarda-sol em vez de barraca. Comprarão um automóvel em vez de comprar um carro, pegarão um defluxo em vez de um resfriado, vão andar no passeio em vez de passear na calçada. Viajarão de trem de ferro e apresentarão sua esposa ou senhora em vez de apresentar sua mulher.


A língua varia no tempo, no espaço e em diferentes classes socioculturais. O texto exemplifica essa característica da língua, evidenciando que

a) o uso de palavras novas deve ser incentivado em detrimento das antigas.
b) a utilização de inovações no léxico é percebida na comparação de gerações.
c) o emprego de palavras com sentidos diferentes caracteriza diversidade geográfica.
d) a pronúncia e o vocabulário são aspectos identificadores da classe social a que pertence o falante.
e) o modo de falar específico de pessoas de diferentes faixas etárias é frequente em todas as regiões.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

QUESTÃO do ENEM 2014

O JOVEM espanhol Daniel se sente perdido. Seu diploma de desenhista industrial e seu alto conhecimento de inglês devem ajudá-lo a tomar um rumo. Mas a taxa de desemprego, que supera 52% entre os que têm menos de 25 anos, o desnorteia. Ele está convencido de que seu futuro profissional não está na Espanha, como o de, pelo menos, 120 mil conterrâneos que emigraram nos últimos dois anos. O irmão dele, que é engenheiro-agrônomo, conseguiu emprego no Chile. Atualmente, Daniel participa de uma "oficina de procura de emprego" em países como Brasil, Alemanha e China. A oficina é oferecida por uma universidade espanhola.

A situação ilustra uma crise econômica que implica

a) valorização do trabalho fabril.
b) expansão dos recursos tecnológicos.
c) exportação de mão de obra qualificada.
d) diversificação dos mercados produtivos.
e) intensificação dos intercâmbios estudantis.

sábado, 8 de novembro de 2014

EVANGELHO do Domingo: Jesus expulsa os vendilhões do templo

ESTAVA próxima a Páscoa dos Judeus e Jesus subiu a Jerusalém. No Templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. E disse aos que vendiam pombas: "Tirai isto daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!" Seus discípulos lembraram-se, mais tarde, que a Escritura diz: "O zelo por tua casa me consumirá". Então os judeus perguntaram a Jesus: "Que sinal nos mostras para agir assim?" Ele respondeu: "Destruí este Templo, e em três dias o levantarei". Os judeus disseram: "Quarenta e seis anos foram precisos para a construção deste santuário e tu o levantarás em três dias?" Mas Jesus estava falando do Templo do seu corpo. Quando Jesus ressuscitou, os discípulos lembraram-se do que ele tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra dele" (João 2, 13-22)

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

VOCÊ sabe com quem está falando?

Absurdo: Justiça condena agente só por cumprir a lei


A NOTÍCIA dada em primeira mão por Heródoto Barbeiro no Jornal da Record News, na terça-feira, relata o caso de Luciana Silva Tamburini, a bela agente de trânsito da Operação Lei Seca, no Rio, que estava trabalhando na blitz em que foi parado o carro do juiz João Carlos de Souza Corrêa, 18º JEC (Juizado Especial Criminal), em fevereiro de 2011. O ilustre magistrado estava sem documentos do carro, nem habilitação para dirigir, recusou-se a fazer o teste do bafômetro _ deveria ter seus bons motivos _ e deu voz de prisão à agente, que estava só cumprindo a lei.

O absurdo: esta semana, foi mantida pelo desembargador José Carlos Paes, da 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a sentença de primeira instância, em que Luciana foi condenada a pagar multa de R$ 5 mil ao juiz Souza Corrêa, por "abuso de poder".

"Ao apregoar que o demandado era juiz, mas não Deus, a agente de trânsito zombou do cargo por ele ocupado, bem como do que a função representa na sociedade", justificou o doutor desembargador ao manter em segunda instância a condenação da agente de trânsito. Que beleza, quanta meiguice!

Dois detalhes: Luciana ganha um salário mensal de R$ 3.600 e seria presa se não pagasse a multa, e o carro do juiz circulava sem placas. Nada disso foi levado em conta pela nossa Justiça, sempre implacável ao julgar e condenar os mais fracos, em defesa dos mais fortes.

Quando viu que a agente não cedeu ao tradicional apelo do "sabe com quem esta falando?", o juiz Corrêa, do alto da sua autoridade, não teve dúvidas: mandou chamar a polícia para prender a agente, que recebeu voz de prisão por "desacato à autoridade". Ameaçada de ser algemada e levada no camburão ao 14º Distrito Policial, no Leblon, Luciana se recusou a cumprir a ordem dos policiais, mas foi à delegacia, e acabou condenada pela Justiça.

Nem tudo, porém está perdido. Ao tomar conhecimento deste absurdo, na terça-feira, no mesmo dia a advogada paulista Flavia Penido criou uma vaquinha virtual na internet para ajudar Luciana Tamburini. Em menos de 24 horas, foram arrecadados R$ 11.600, afastando assim o risco dela ser presa por não ter condições de pagar a multa.

Em entrevista aos repórteres Mateus Campos e Julianna Granjeia, do jornal O Globo, a agente de trânsito disse que não se arrepende da sua atitude ao zelar pelo cumprimento da lei. E desabafou:

"No acordão, o desembargador reconhece que o magistrado estava sem habilitação e num carro sem placa. Mas afirma que, naquela situação, eu é que agi com abuso de autoridade. É revoltante. Eu não sou legisladora. Não estou ali para fazer a lei. Estou ali para cumpri-la, assim como todo mundo. Agora posso me prejudicar porque fiz o meu trabalho direito. Isto desmotiva (...) Aqueles que nos julgam têm muito mais poder do que as pessoas comuns. E parecem estar acima das leis que aplicam".

"O juiz queria que um tenente me desse voz de prisão, que me levasse para a delegacia. O tenente se recusou e o juiz ligou para uma viatura. Os PMs da viatura tentaram me algemar e disseram que ele queria que eu fosse para a delegacia. Respondi que ele queria, mas não era Deus. Eles saíram e informaram ao juiz o que eu havia dito. Ele começou a gritar e me deu voz de prisão, dizendo que eu era muito abusada. Fomos então para a delegacia".

"Alguém tem que fazer este trabalho. Se eu levo os carros dos mais humildes, por que não vou levar os dos mais abastados? (...) Eu trato todo mundo do mesmo jeito, independentemente de qualquer coisa. Eu trabalho do jeito certo e vou até o final".

É ou não é mesmo revoltante esta história? Se tem muitas autoridades no nosso país que nos envergonham, tem outras, como a agente de trânsito Luciana Silva Tamburini, que me dá orgulho de ser brasileiro.

Só não consigo entender uma coisa: vira e mexe, lemos nos jornais notícias sobre autoridades e celebridades em geral que são paradas e detidas pelos agentes da Operação Lei Seca no Rio de Janeiro. E é muito raro vermos isso acontecer em São Paulo. Por que será? (Ricardo Kotscho)