segunda-feira, 30 de novembro de 2015

GRATIDÃO

AINDA que nossa boca estivesse cheia de canto, como o mar;
e nossa língua, de júbilo, como o bramido de suas ondas;
e nossos lábios, de louvor, como a amplidão do firmamento;
e nossos olhos resplandecessem, como o sol e a lua;
e nossos braços se estendessem, como as águias no espaço;
e nossos pés fossem ligeiros, como os dos cervos...

... não conseguiríamos agradecer-te, Adonai, 
Deus nosso e Deus de nossos pais,
nem bendizer teu Nome sequer em medida infinitesimal
pelos benefícios que fizeste a nossos pais e também a nós.
Amém.

(do manual de oração Encontro, frei Ignácio Larrañaga)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!