sexta-feira, 27 de novembro de 2015

MEMÓRIAS azulinas

Gigante Alcino humilha bicolores



EM 28 DE ABRIL DE 1972. O jogo transcorria normalmente; o Leão Azul vencia por 1 a 0, gol de Roberto, o Diabo Louro, finalizando com precisão uma jogada do eterno gigante Alcino. Era a rodada final do torneio Pará, Goias, Maranhão.

Na preliminar o Goiás já havia vencido o Moto Clube e torcia por um resultado positivo do Clube do Remo frente ao rival listrado. A vitória já se desenhava, o Remo já vencia e com tranquilidade e tocava a bola no gramado, bola de pé em pé, e o balão se oferece na entrada da grande área para Alcino. Ele se livre de alguns adversários, entra na grande área, ameaça finalizar e... inesperadamente, para a surpresa de todos os presentes, ele, o gigante, não finaliza: definitivamente humilha o eterno freguês listrado ao sentar na bola dentro da tal Curuzu. Ele, que já havia mostrado os órgãos genitais para a torcida listrada, dessa vez se eterniza de vez, é expulso, abandona o campo de jogo ovacionado pela torcida azul presente. É retirado de campo sob vaias e apupos da infiel bicolor.

Mesmo com dez elementos o Remo ainda marca o segundo através de Cabecinha e com isso proporciona ao Goiás a conquista do Pará, Goiás, Maranhão.

Alcino, o mito da camisa 9. 

No momento faço um levantamento de todos os gols marcados por Alcino, de novembro de 1970 até Novembro de 1975. E sinceramente espero que o Motora tenha marcado bem mais do que os 163 gols registrados marcados por Dadinho, que, segundo informações oficiais ou extra oficiais, é o maior artilheiro da história do Mais Querido.  (Rocildo Oliveira, via Facebook)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!