quinta-feira, 3 de março de 2016

MEMÓRIAS azulinas

Aranha: classe e maestria a serviço do Clube do Remo



Por Rocildo Oliveira, via Facebook


ÀS VÉSPERAS do Mais Querido realizar a sua estreia no Brasileiro unificado da primeira divisão de 1972, uma grande quantidade de grandes atletas desembarcou em Belém. Eram atletas de qualidade, quase que na sua totalidade oriundos das equipes do eixo Rio - São Paulo. 

Dentre esses atletas, um de imediato chama a atenção pela categoria demonstrada com o trato da bola. Era Aranha, classe e maestria na lateral direita a serviço do Clube do Remo. 


Logo o futebol de Aranha começa a chamar a atenção de todo o Brasil. Com apresentações sempre convincentes, esse clássico lateral direito, assume a liderança do troféu Bola de Prata da revista Placar, deixando para trás nomes consagrados como os tricampeões mundiais Carlos Alberto Torres e Zé Maria. Ao final da competição, Aranha confirma a sua conquista, e no dia 13 de janeiro de 1973, para o orgulho do torcedor remista, o nosso lateral recebe das mãos do Rei Pelé o referido troféu e se eterniza na história do futebol brasileiro e do Clube de Periçá, como o primeiro atleta de um clube nortista a ser detentor dessa premiação.

Muito respeito com a camisa azul do Clube do Remo, com seus grandes craques e sua imensa torcida. Tenho como sonho ver presente em um jogo do Leão esse grande atleta do passado adentrar no gramado de jogo, e ser saudado entusiasticamente pela grande massa torcedora azulina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!