sábado, 5 de novembro de 2016

QUESTÃO do ENEM 2016

O CORONELISMO era fruto de alteração na relação de forças entre os proprietários rurais e o governo, e significava o fortalecimento do poder do Estado antes que o predomínio do coronel. Nessa concepção, o coronelismo é, então, um sistema político nacional, com base em barganhas entre o governo e os coronéis. O coronel tem o controle dos cargos públicos, desde o delegado de polícia até a professora primária. O coronel hipoteca seu apoio ao governo, sobretudo na forma de voto.


Carvalho, J. M. Pontos e bordados: escritos de história política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998 (adaptado).

No contexto da Primeira República no Brasil, as relações políticas descritas baseavam-se na

a) coação das milícias locais.
b) estagnação da dinâmica urbana.
c) valorização do proselitismo partidário.
d) disseminação de práticas clientelistas.
e) centralização de decisões administrativas. 




Comentário do BLOGUE:


Ao contrário do que alguns pensam, as práticas clientelistas do coronelismo da Primeira República continuam vivas. Os "coronéis" de hoje, embora não mais com esse título, são os donos de rádio, jornal e televisão, banqueiros, latifundiários, grandes capitalistas, que, a exemplo dos antigos coronéis, continuam a controlar cargos e a influenciar o voto do eleitor menos instruído visando eleger deputados, senadores e governadores. Estes, uma vez eleitos e empossados, atuarão em favor desses "coronéis", deixando, como sempre, o povo à míngua, num círculo vicioso sem fim.

Quase nada mudou desde então. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!