terça-feira, 13 de dezembro de 2016

CHICO Buarque

Pivete, 1978



NO SINAL fechado ele vende chiclete
Capricha na flanela e se chama Pelé
Pinta na janela, batalha algum trocado
Aponta um canivete e até


Dobra a carioca olerê,
desce a Frei Caneca olará

Se manda prá Tijuca, sobe o Borel
Meio se Maloca, agita numa boca
Descola uma mutuca e um papel
Sonha aquela mina olerê,

prancha, parafina, olará
Dorme gente fina, acorda pinel

Zanza na sarjeta, fatura uma besteira
E tem as pernas tortas e se chama Mané
Arromba uma porta,
faz ligação direta

Engata uma primeira e até
Dobra a Carioca, olerê,
desce a Frei Caneca, olará

Se manda prá Tijuca na contramão
Dança pára-lama, já era pára-choque
Agora ele se chama Emersão

Sobe no Passeio, olerê,
Pega no Recreio, olará
Não se liga em freio nem direção

No sinal fechado ele transa chiclete
E se chama pivete

e pinta na janela
Capricha na flanela,

descola uma bereta
Batalha na sarjeta
E tem as pernas tortas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO por comentar e volte sempre ao BLOGUE do Valentim!