quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

NUNES diverte o Brasil


BEM bacana.

E o coronel Nunes, ao contrário de Greta Garbo, que acabou no Irajá, foi desaguar na CBF. E começa a divertir o Brasil.


Há cerca de duas semanas, escreveu o jornalista Juca Kfouri em seu blog,
 um dos mais lidos do País na área esportiva:

Preocupados com as bobagens ditas pelo presidente interino coronel Nunes,
os homens de Marco Polo Del Nero (leia-se a dupla Caboclo$Feldman) querem que
o ex-PM se limite a ler o que eles escreverem.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A REBELIÃO de Jacareacanga (versão oficial)

MUITO me intriga até hoje a figura do brigadeiro Haroldo Coimbra Veloso. Durante o serviço ativo viajei várias vezes para Cachimbo, cuja unidade militar tem o seu nome (Campo de Provas Brigadeiro Veloso), uma homenagem por ter sido o oficial, quando capitão e major, seu maior idealizador. Aliás, o então major Veloso não é só conhecido por esse feito. Depois da revolução militar de 1964, pediu transferência para a reserva no posto de brigadeiro. Candidatou-se a deputado federal pela Arena, partido de sustentação do governo militar. 

Meu pai, em visita a Cachimbo, ao adentrar o portal da OM disse assim: "Eu lembro desse nome". Meu saudoso pai era ouvinte assíduo de rádio, principalmente das notícias. O velho Manoel mantinha-se sempre atualizado, mormente sobre os fatos políticos do Pará.


Foi então que o sr. Manoel iniciou a falar sobre um certo major Veloso que, confrontando as tropas da Polícia Militar do Pará, acabou ferido de baioneta. Seu intuito era manter no cargo de prefeito de Santarém seu amigo Elias Pinto, do MDB. O alcaide havia sido reconduzido ao cargo por decisão judicial, e isso não agradava o governador do Pará, coronel Alacid Nunes, que, ao saber da decisão, mandou cercar o prédio da prefeitura com 150 soldados. Ordem expressa para que ninguém entrasse no prédio. Os detalhes do caso, contamos depois.


Lendo um pouco mais, achei outras passagens em que se envolveu o major Veloso, ainda na ativa. 


O principal caso é o que ficou conhecido como a ...



Rebelião de Jacareacanga




Major Veloso
MENOS de duas semanas após a posse do Presidente da República, Juscelino Kubitschek, dois oficiais da Força Aérea Brasileira, inconformados com os rumos políticos que aquela posse representava, rebelaram-se. Esse ato, aparentemente isolado, era uma manifestação de oficiais que pertenciam a uma numerosa corrente no seio das Forças Armadas, principalmente na Aeronáutica e na Marinha. Eles tinham a esperança de que a rebelião de Jacareacanga deflagrasse uma série de outros levantes, que, se não comprometessem a estabilidade do novo governo, pelo menos lhe causariam grandes dificuldades e desprestígio. Os fatos da rebelião foram os descritos a seguir:

Na manhã de 11 de fevereiro de 1956, sábado de carnaval, o Major-Aviador Haroldo Coimbra Veloso e o Capitão-Aviador José Chaves Lameirão apossaram-se do avião bimotor Beechcraft  matrícula 1523, do Parque de Aeronáutica dos Afonsos, e decolaram para rumo ignorado; o capitão Lameirão servia no Parque dos Afonsos, o que facilitou a fuga. Fazendo escala em Uberaba, Aragarças e Cachimbo, o major Veloso e o capitão Lameirão foram refugiar-se no campo de aviação de Jacareacanga, margem oeste do rio Tapajós. Lá chegados, eles se apossaram da estação de rádio da Aeronáutica e passaram a comandar o pequeno destacamento militar, bem como os os trabalhadores civis lá lotados, além de terem interditado a pista de pouso, mediante a colocação de tambores de gasolina vazios em toda a sua extensão.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

CORONEL NUNES recebe pensão como anistiado político


HOMEM de confiança do regime militar durante os anos da ditadura, o novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) recebe um soldo mensal de R$ 14.768,00 da Força Aérea Brasileira (FAB) como anistiado, “vítima de ato de exceção de motivação política”.

A decisão do Ministério da Justiça, publicada no Diário Oficial da União de 14/5/2003 e assinada pelo então Ministro Márcio Thomaz Bastos, concedeu, além das prestações mensais, uma indenização retroativa de R$ 243.416,25. Porém, os anais das Forças Armadas, da Polícia Militar do Pará – analisados pela reportagem – e a história de vida de Antônio Carlos Nunes de Lima, 77 anos, retratam um quadro oposto ao de alguém sacrificado nos anos de chumbo.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

BELÉM 400 anos: terra de Remo e Paysandú

BELÉM pode ser descrita facilmente como uma cidade quente.
Mas o "quente" em questão pode ir além de um adjetivo que define temperatura. 
O nosso povo é tão quente quanto o clima.
Aqui é preciso ter opinião. Ou é ou não é. Em cima do muro não existe.
E nesse contexto é azul marinho ou azul celeste.
Aquela famosa pergunta: "Tu és Remo ou Paysandu?"

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

POR QUE os homens raramente caem em depressão?

A Medicina e a Sociologia explicam


● Não engravidam;
● Os mecânicos não mentem pra eles;
● Rugas são traços de caráter;
● Barriga é sinal de prosperidade;
● Cabelos brancos são charme;
● Os sapatos não lhes machucam os pés;
● As conversas ao telefone duram apenas trinta segundos;
● Para férias de cinco dias, precisam apenas de uma mochila;
● Se outro homem aparecer na mesma festa usando uma roupa igual, não há nenhum problema;
● Não chegam nem perto de cera quente;
● Se alguém se esquece de convidá-los para alguma festa, ainda assim vai continuar sendo seu amigo;
● Sua roupa íntima custa no máximo vinte reais (em pacotes de três unidades);
● Três pares de sapatos são mais do que suficientes;
● São incapazes de perceber que a roupa está amassada;
● Seu corte de cabelo pode ser o mesmo durante anos, aliás, décadas;
● Os shoppings não fazem falta para eles;
● Se um amigo chamá-lo de gordo, careca, etc, isso não abala em nada a amizade deles. Aliás, é prova de grande amizade; e
● Para um churrasco, precisam de carne, sal grosso, uma faca, uma tábua e, no máximo, uma bermuda para limpar os dedos. 

Curioso, porém verdadeiro!